22/05/2017

Autor: Alfredo Sirkis
Ambientalista, político, jornalista e escritor

O muito celebrado Acordo de Paris ainda ficou longe de colocar a economia
global numa trajetória abaixo de 2 graus (de aumento da temperatura média
do planeta nesse século), muito menos do horizonte de 1.5 graus nele
definido. O somatório dos Compromissos Nacionalmente Determinados (sigla
em inglês: NDC) dos países signatários ainda fica bem longe dessa primeira
meta. Viessem a ser todos eles rigorosamente cumpridos, até 2030, ainda
sobrariam, na atmosfera, naquele ano, nada menos de 12 Gt (gigatoneladas:
bilhões de toneladas) de gases efeito estufa(GEE) emitidos a mais do que o
compatível com uma trajetória de 2 graus. O somatório dos NDC ainda aponta
para um aquecimento entre 2.8 e 3.4 graus.

Essa é ainda uma projeção francamente otimista pois não incorpora os
chamados feedbacks, certos processos exponenciais, retro-alimentadores do
aquecimento global: O primeiro é a liberação de gás metano armazenado sob
as geleiras do Ártico, oceanos e no permafrost siberiano. O gás metano (CH4) é
21 vezes mais ativo para efeito estufa que o C02 mas enquanto esse
permanece séculos na atmosfera o metano de dissipa em décadas. Os
cientistas ainda não têm total clareza sobre as implicações deste feedback
desdobradas no tempo. Mas a preocupação é grande.

O segundo grande feedback é a perda da capacidade de absorção de carbono
pelos seus dois grandes sumidouros naturais, os oceanos e as florestas
tropicais. Ambos estão perdendo, gradualmente, essa capacidade. Os oceanos
pela sua acidificação e as florestas tropicais pelas secas que as atingem. Nas
duas grandes secas sofridas pela Amazônia, em 2005 e 2010, quase um lGt foi
emitido pela floresta naqueles anos mas não contabilizado no inventário de
emissões de GEE brasileiro por ser considerado “fenômeno natural”.

Ou seja, o futuro climático é assustador mesmo na hipótese otimista de se
conseguir cumprir, a risca, o Acordo de Paris e suas NDC. Por outro lado, não
deixa de ser bastante plausível a hipótese de que certos países não cumprirão
seus NDC, que são “compromissos voluntários”. É o que pretende,
atualmente, Donald Trump a frente do governo do segundo maior país
emissor.

Pior ainda: cada vez mais cientistas consideram que a meta de 2 graus,
mesmo cumprida, não deteria o derretimento acelerado das geleiras do Ártico
e da Groenlândia, que pode dar-se antes de 2040, e a subsequente elevação
do nível dos oceanos de forma a ameaçar milhares de cidades litorâneas. Foi
por essa razão que Conferência de Paris, pressionada pelos países insularessob
risco de pura e simplesmente desaparecerem do mapa, mesmo com 2
graus– adotou uma referência ao horizonte de 1.5 graus embora, de uma
forma geral, isso fosse tecnicamente considerado, já então, algo praticamente
inviável, a no atual estágio do conhecimento humano e sem recurso a técnicas
controversas de geoengenharia. Os cientistas do Painel lntergovernamental
para as Mudanças Climáticas (IPCC) devem apresentar, em 2018, um estúdio
mais conclusivo do que seria necessário fazer para chegar nesse patamar.
A temperatura média do planeta, depois de ter permanecido estável durante
milhares de anos, já aumentou em 1.1 graus, desde o início da era industrial. A
concentração de gases-estufa em poucos anos ultrapassará aquela compatível
com 1.5 graus e, na altura de 2030-35, aquela relacionada a 2 graus. Essa
elevação de temperatura não é imediata, demorará décadas mas poderá
ocorrer ainda no tempo de vida de nossos netos e bisnetos. Em geral
relaciona-se ao limite 450 ppm (partes por milhão) uma chance de mais de
50% dos nossos netos viverem num mundo aquém do limite dos 2 graus. No
início da era industrial essa concentração era de 280 ppm (partes por milhão) e
atualmente ela já ultrapassou os 407 ppm.

Há outros estudos que afirmam que, num prazo mais longo, a humanidade
teria que fazer retroceder essa concentração de volta aos para 350 ppm para
livrar-se dos chamados feedbacks de longo prazo e assegurar a sobrevivência
da espécie humana sobre o planeta. Ninguém hoje tem ideia de como
promover tamanho nível de emissões negativas que absorva toda essa
quantidade de gases-estufa. Talvez a humanidade, no século 22, torne-se
capaz disso. O dever da atual geração tentar manter essa concentração abaixo
das 450 ppm e a temperatura abaixo de 2 graus buscando aproximar-se de 1,5.
É um desafio dificílimo. No momento em que foi assinado o Acordo de Paris
isso efemeramente pareceu um pouco menos distante que antes, O Acordo
prevê ciclos de rev1sao quinquenais para levar os governos a se
comprometerem com NDC mais (não menos!) ambiciosos.

A inesperada eleição de Donald Trump trouxe uma dificuldade adicional de
dimensões consideráveis: o segundo maior emissor passou a ser governando
por um presidente e uma maioria parlamentar que simplesmente negam que
exista o aquecimento global provocado pela emissão de carbono e outros
gases feito estufa proveniente da queima de combustíveis fósseis e de outras
atividades humanas.

Neste momento ainda não sabemos de que maneira a administração Trump
irá conduzir diplomaticamente seu posicionamento. Há duas facções em
dissenso, na Casa Branca, em torno de posições taticamente distintas mas
igualmente reacionárias. Um grupo liderado pelo assessor político e ideólogo
da extrema-direita Steve Bannon e pelo atual presidente-liquidante da agencia
federal de proteção ambiental {EPA), Scott Pruitt, defende que os EUA devam
pura e simplesmente se retirar do Acordo de Paris. Porque o caminho para
tanto é mais complicado e demoraria três anos, seria mais fácil sair de vez da
Convenção do Clima, assinada na Rio 92 que implicaria automaticamente na
retirada do Acordo de Paris. Isso seria mais rápido, demoraria apenas um ano.
É a solução curta e grossa.

Esse grupo enfrenta a oposição da filha de Trump, lvanka, do seu marido,
Jared Kushner e do secretário de estado (e ex-presidente da Exxon Mobil) Rex
Tillerson, apoiados pela maioria das grandes empresas de energia fóssil.
Sustentam que os EUA devem permanecer no Acordo de Paris mas rever para
menos seu NDC de forma a incorporar as consequências do desmantelamento
de toda a regulamentação baixada pela EPA durante a administração Obama,
impondo fortes limites de emissões para às termoelétricas a carvão e a
diversas outras indústrias, inclusive a automobilística.

Bannon, Pruitt e seus partidários nos lobbies e think tanks negacionistas
climáticos se opõem a essa proposta. Cobram o compromisso de campanha:
Trump anunciara várias vezes sua intenção de sair do Acordo de Paris. Eles
lembram que o Acordo só contempla revisões de NDC no sentido de menos
emissões e não de mais. Advertem que tal decisão deixaria a administração
Trump exposta a uma chuva de ações judiciais por parte de ONGs
ambientalistas e de governos estaduais democratas numa reação similar ao
que aconteceu com o famosos decreto anti-imigração de muçulmanos de
alguns países, baixado logo nos primeiros dias e logo bloqueado na justiça.
A administração Trump esta dividida entre essas duas maneiras de promover
o retrocesso climático: uma atitude clara, radical ou outra mais dissimulada,
preocupada com o contexto internacional e com eventuais danos à
competitividade das empresas norte-americanas em suas exportações.
Bannon e Pruitt têm razão quando observam que o Acordo de Paris não prevê
recuos nas NDC e que não caberia apresentar um NDC revisado para baixo. Os
NDC, à luz do direito internacional, são a compromissos voluntários. Ao
contrário do Protocolo de Quioto, de 1997, no qual os países desenvolvidos do
chamado Anexo I estavam, em tese, sujeitos a sanções pelo descumprimento
de metas assumidas, o Acordo de Paris não estipula penalidades nem possui a
força de um tratado internacional. Também é bom lembrar que certos países
como o Canadá {na época do governo conservador de Stephan Harper)
descumpriram flagrantemente seus compromissos de Quioto e nem por isso
sofreram quaisquer sanções.

O Acordo de Paris, acertadamente, adotou um outro caminho reconhecendo
implicitamente a impotência do sistema da ONU para deliberar sobre sanções
pelo não-cumprimento e de sancionar para além da constatação, do anúncio
público e do vexame. Foi uma decisão sábia, obrigações sujeitas a sanções,
seriam politicamente inviáveis num organismo como a UNFCCC que toma
decisões por consenso. Os dois únicos organismos que podem determinar
sanções são o Conselho de Segurança da ONU e a OMC {Organização Mundial
de Comércio). Há um bom tempo alguns propugnam que o Conselho de
Segurança trate das ameaças climáticas. Isso vem suscitando resistências –
inclusive do Brasil!-mas mesmo que viesse a ocorrer, no futuro, sanções pelo
não cumprimento de compromissos climáticos ainda estaria sujeita ao poder
de veto dos cinco membros permanentes, EUA, Rússia, China, Reino Unido e
França.

Nesse contexto, a administração Trump pode, de fato, permanecer na
UNFCCC e no Acordo de Paris e ficar jogando a cartada da obstrução e da
procrastinação. Isso, atualmente, vem sendo apanágio de um grupo
heteróclito de governos definido como the like minded {os que pensam
parecido) Arábia Saudita e outros países da Liga Árabe, produtores de petróleo
ou por eles influenciados, mais o grupo dos “bolivarianos” onde se destaca a
Venezuela. A Arábia Saudita, que na Conferência de Copenhagen, em 2009,
adotara uma posição agressivamente negacionista chegando a se envolver em
provocações para questionar a integridade científica do IPCC, vem,
gradualmente, evoluindo e começa a programar uma transição energética com
um programa muito ambicioso de expansão da energia solar. Se os EUA afinal
adotarem como sua nova política o discurso de Scott Pruitt ficarão isolados em
companhia do governo de Nicolas Maduro na vanguarda do atraso climático.
Não é viável que implementar isso com a sua atual equipe negociadora na
UNFCCC, remanescente do governo Obama, liderada por Trigg Talley um democrata
-casado com uma brasileira– que certamente nesse momento
estará na alça de mira de Bannon e Pruitt. Internamente, no entanto, o jogo já
está perfeitamente claro. Por decreto presidencial já foram desmantelados os
limites de emissões que Trump denominou “guerra ao carvão”; foi autorizada
a construção do oleoduto de Keystone que importará do Canadá um tipo de
petróleo emissor particularmente intenso de C02 (tar sands); foi dizimado o
conselho cientifico da EPA; foram retirados do ar todos os websites federais
que tratavam de Clima e foram tomadas dezenas de decisões que revertem ou
enfraquecem medidas de controle de variados tipos de poluentes locais.
Segundo diversos observadores tudo isso já sinaliza o descumprimento da
NDC norte-americana, cuja meta é uma modesta redução de entre 26% e 28%
das emissões, em 2025,ano base 2005. O Brasil, que utiliza o mesmo ano base,
apresentou no seu NDC meta de 37%, em 2025 e 43%, em 2030. A União
Europeia, de 40%, em 2030.

Dominós

As consequências negativas do posicionamento da administração Trump nessa
questão tão vital para o futuro da humanidade, dar-se-ão para além de um
simples forfait do segundo maior emissor ao compromisso internacional que
assumiu em 2015. Tão ou mais grave é sua influência negativa sobre outros
governos de países grandes emissores. O discurso negacionista de Trump tem
um efeito desinibidor. A Rússia, por exemplo, vem sendo problemática nas
negociações climáticas. Desde o início do processo sua política vem sendo a de
tentar fazer valer ao máximo a forte redução de emissões que ocorreu, no
início dos anos 90, na transição da URSS para a Federação Russa, na brutal
recessão econômica ocorrida durante o governo de Boris leltsin. Sua ambição é
transformar aquela queda, brutal mas meramente recessiva -e relacionada
com duas economias (a da URSS e a da Rússia) que não podem ser exatamente
comparadas– numa profusão de créditos de carbono que a habilitem a poder
emitir mais, no futuro. O NDC russo é bem modesto: 35% em relação a 1990, o
que essencialmente já foi atingido (e ultrapassado) por força daquela recessão
dos anos 90 e da atual.

Não obstante, até pouco tempo, Vladimir Putin vinha jogando o jogo no
âmbito da narrativa. Putin “entrou no clima” em Paris. Seu discurso na COP 21
foi considerado “forte”. Não mais. Recentemente, Putin deu uma declaração
estranha na qual parece se acercar do negacionismo climático de Trump e
colocar em dúvida a existência de um aquecimento global provocado pela
“ação do homem” atribuindo-o “causas naturais”. Depois, não se ouviu mais
dele sobre o tema. A dúvida ficou no ar. Outro governo susceptível de sofrer
uma influencia negativa de Trump é o da Índia, cujo primeiro-ministro,
Nerendra Modi, vem muito relutante e modestamente anunciando metas
ambíguas e insuficientes para que já é o quarto maior emissor. O NDC da Índia:
–um dos mais longos e prolixos, com 38 páginas– define um compromisso de
redução de 33% a 35% da intensidade de carbono por ponto percentual do PIB,
até 2030, ano base 2005. Ainda não ficou claro se, de fato, Trump influenciará
a posição da Índia mas a preocupação está no ar.

Diplomaticamente, o vazio criado pelo recuo de Trump em relação ao Obama
na questão climática deixa tende a ser preenchido, pelo menos no âmbito
retórico, pela China, União Europeia e Brasil. São atores que reconhecem de
forma inequívoca as dimensões do desafio das mudanças climáticas e a
necessidade de enfrenta-las reduzindo fortemente emissões e se adaptando.
Esse posicionamento, no entanto, não está isento de ambiguidades e de
problemas em relação aos quais a nova postura norte-americana, seja qual for
a variante tática adotada, exerce uma influência muito negativa, estimulando
os setores reacionários em todos os governos.

A China, o primeiro maior emissor, responsável por 15% das emissões globais,
possui um NDC que não contempla, até 2030, o corte de emissões no
agregado. Seu compromisso é da redução de 60% a 65% na sua intensidade de
carbono por ponto percentual do PIB, até 2030, ano base 2005. Assume
também o compromisso de iniciar reduções, no agregado, a partir de um
“pico” de emissões que dar-se-ia, ao mais tardar, em 2030.

• De fato, por diversos fatores que incluem uma contração do nível de
crescimento do seu PIB e uma forte redução no seu consumo de carvão –
fundamentalmente para fazer frente a uma terrível poluição atmosférica nas
cidades– a China, nos últimos dois, anos já reduziu, ligeiramente, suas
emissões no agregado. Essa queda somada à dos Estados Unidos, nos últimos
anos do governo Obama, permitiu um feito inédito: uma pequena redução
global de emissões globais no setor de energia.

A União Europeia(UE), por sua parte, já vinha reduzindo suas emissões, no
agregado, desde o Acordo de Quieto mas tem problemas em relação a alguns
de seus países mais atrasados como a Polônia, muito dependente do carvão e
agora com um governo de extrema-direita que também adere ao
negacionismo climático (mas deve sediar a importante Conferência do Clima
COP 24). A isso se soma o Brexit, a retirada do Reino Unido da UE, cujos
detalhes começam a ser negociados em breve. Embora o governo conservador
de Thereza May não tenha sinalizado, ainda, nenhuma mudança em relação a
compromissos climáticos eles parecem menos seguros porque o Brexit pode
resultar num eventual abandono de certas normas e padrões ambientais e
climáticos europeus que eventualmente o Reino Unido considere
inconvenientes. Ser a negociações não forem bem sucedidas e levarem a um
divórcio litigioso a tendência do Reino Unido é praticar o dumping tributário e
ambiental para tentar atrair capitais transformando-se num grande paraíso
fiscal.
O Brasil, por sua parte, assumiu compromissos bastante avançados na sua
NDC – uma das poucas que já estaria alinhada com uma trajetória de 2 graus–
ao comprometer-se com reduções, no agregado, de 37% até 2025 e 43%, até
2030, ano base 2005. É a única grande economia, em desenvolvimento, a fazêlo e que conseguiu,
no período entre 2005 e 2012, promover o maior corte de emissões no agregado de qualquer
país pelo fato de ter reduzido o
desmatamento, na Amazônia, de 27 mil km2 para menos de 5 mil km2.

Depois disso, no entanto, o desmatamento voltou a subir chegando a quase 8
mil km2, em 2016. Em 2015 e 2016, apesar de uma recessão brutal, as
emissões brasileiras subiram 3% por causa desse repique do desmatamento.
Nesse contexto de fragilidade, a influência negativa dos EUA sob Trump é
certamente preocupante. Ela pode servir de álibi ou justificativa geopolítica
para as forças que, internamente aos países ou blocos de países, procuram
dificultar novos avanços, quando não promover retrocessos, tanto em relação
a suas políticas internas, atinentes à transição para economias de baixo
carbono, quanto no seu posicionamento diplomático em organismos
multilaterais como a UNFCCC, o G 7 ou o G 20. Como estes se regem pelo
consenso, o denominador comum acaba sendo aquela posição mais atrasada.
O governo Trump já conseguiu impor retrocesso ao G 7 ao suprimir qualquer
menção às mudanças climáticas na recente reunião presidida pela Alemanha
que, em tese, seria uma oportunidade para avançar a agenda climática no
campo econômico.

No complexo universo da UNFCCC onde a geopolítica sempre jogou um peso
preponderante em detrimento da solidariedade climática, salvo em alguns
momentos de avanço incrementai, com foi a Conferência de Paris, essa
capacidade de obstrução da administração Trump deverá marcar sua presença.
Isso certamente se fará sentir nas próximas COP. Não cabe dúvida que o processo da UNFCCC,
tão dependente de consenso, será duramente afetado, pelo menos nos próximos quatro anos
que seriam cruciais para um impulso de
descarbonização drástica das economias do século 21 que já era bastante
difícil na situação anterior. Visto sob esse ângulo, a situação assume contornos
bastante trágicos.
Mas continua sendo “a economia, estúpido!”

Antes de consideramos liquidada a fatura de qualquer avanço climático, nos
próximos quatro anos, pelo menos, por causa do retrocesso nos EUA, seria
conveniente analisar certos desdobramentos recentes que não estão
diretamente vinculados ao processo diplomático multilateral entre governos
nacionais o qual se dá nas COP da UNFCCC e nos processos multilaterais acima
mencionados.

Não se pode ainda afirmar com segurança que o mundo já tenha atingido seu
“pico” de emissões mas é certo que algo de interessante -e até certo ponto
inesperado– ocorreu: o PIB mundial em 2015 e 2016 cresceu perto de 3%, ao
ano, mas as emissões, do setor de energia, pela primeira vez, não
acompanharam esse crescimento. Aparentemente –os números ainda não são
completos e incontestes– elas se mantiveram esteáveis ou mesmo tiveram
uma pequena redução. Ou seja, pela primeira vez, houve uma diferenciação
entre a curva do PIB global e a das emissões globais.

Já houveram anos anteriores de redução de emissões, mas corresponderam a
períodos recessivos seguidos de aumento, assim que o crescimento global
retornou. Dessa vez parece diferente, uma estagnação das emissões num
momento de crescimento do PIB global que parece decorrer sobretudo da
redução da queima de carvão energético nos EUA e na China. Nos EUA, por
conta de sua substituição pelo gás de felhelho e, na China, por um robusto
investimento em energias limpas, como a eólica e o solar, e pelo fechamento
de usinas a carvão mais velhas de altas emissões, tanto de poluentes locais
como de C02.

Ainda não sabemos se, de fato, estamos diante de uma tendência a ser
sustentada nos próximos anos mas certamente estamos diante de um fato real
e que não foi “deliberado” no processo da UNFCCC ou concertado em reuniões
do G 7 ou G 20. Ele simplesmente aconteceu na economia real e se relaciona a
determinadas mudanças tecnológicas e econômicas que resultaram numa
redução dramática dos preços das energias eólica e solar e do gás tornando-os
competitivos com o carvão. Também houve, como vimos, um componente de
“comando e controle”: o fechamento de velhas usinas a carvão, na China,
primordialmente para tentar melhorar a qualidade do ar em suas grandes
cidades. Também ressalta, secundariamente, uma maior eficiência energética
dos novos veículos que estão sendo fabricados, com padrões de maior
eficiência energética e uma incipiente mais crescente presença de veículos
elétricos e híbridos que, num futuro não muito distante, irão entrar nessa
equação.

Existe, inegavelmente, um viés econômico em curso apontando na direção da
descarbonização. A redução de 3% nas emissões de GEE dos EUA, no último
ano do governo Obama, junto com uma ligeira queda das emissões de energia
na China, da ordem de 1%, explicam diretamente o que ocorreu nesses dois
anos. Mas subsistirá? Uma das principais promessas de campanha de Donald
Trump foi a de reverter a regulamentação que denominou (la guerra contra o
carvão”. Seu decreto cancelando os atos da EPA nesse sentido foi rapidamente
assinado, com pompa e circunstância, e Trump cercado por eufóricos
representantes de mineradores, sindicatos carvoeiros e donos de térmicas a
carvão. No entanto, a maioria dos observadores considera que os seus
esforços para reviver o setor enfrentarão grandes obstáculos por contrariarem
fortes tendências econômicas.

O uso do carvão para geração elétrica não sofre apenas a concorrência da
geração eólica e solar. A maior causa de sua decadência está no barateamento
drástico da exploração do gás de felhelho. A prometida volta ao rei-carvão dos
séculos 19 e 20 parece tão improvável quanto a da Maria Fumaça ou do Ford
Bigode. Ainda que Trump consiga uma improvável maioria parlamentar para
subsidiar o carvão como complemento de sua ação executiva contrária aos
limites de emissões da EPA, esse estímulo não parece capaz de promover a
ressurreição de um setor condenado por sua obsolescência.

Boa parte da própria indústria do carvão reconhece isso e aposta, cada vez
mais, no chamado CCS, a captura e o “sequestro” do C02 emitido pelas usinas
a carvão. Gostariam de ter subsídios da administração Trump para tanto. Mas
por que eles iriam fazê-lo se pretendem, como pontifica Scott Pruitt, que as
emissões de C02 dos combustíveis fósseis nada tem a ver com as mudanças
climáticas? Como então justificar para os outros republicanos defensores de
cortes nos gastos públicos, investimentos para desenvolver tecnologias de
sequestro e captura de algo que consideram nada tem a ver com o
aquecimento global, essa “invenção dos chineses” que eles atribuem a um
“fenômeno natural” ou simplesmente negam a existência? Aqui o governo
Trump se enrola com seu próprio discurso e consegue ser mais reacionário que
a própria indústria que pretende proteger da implacável evolução da economia
do século XXI.

A posição negacionista de Bannon, Pruitt e que foi defendida por Trump na
campanha, consegue entrar em contradição com boa parte da própria
indústria do carvão, de olho em sua moribunda competitividade, e que vê
outros países carvoeiros apostarem nas tecnologias de CCS. Boa parte das
empresas do setor e quase todas as de petróleo, já anunciaram que são
contrarias a abandonar o Acordo de Paris e se alinham mais com a posição
defendida por lvanka, Kushner e Tillerson.

Essa situação, curiosa, deve ser entendida no contexto de um processo real
que será difícil reverter pela simples vontade política: em alguns aspectos a
descarbonização já se tornou um dado da economia e segue uma lógica de
competitividade. O barateamento drástico das eólicas e do solar não é mais
tão dependente de apoios governamentais. Certamente resultou de subsídios
à indústria, na China, do feed in tarif (um preço maior para a compra
compulsória de energia solar pelas concessionárias), na Europa, e da política
de investimento público em estímulo às energias limpas de Obama, no início
de seu governo. Hoje, no entanto, essas indústrias já são competitivas. Alguns
anos atrás, a reação trumpiana poderia, de fato, ter revertido a transição
energética nos EUA mas, atualmente, isso torna-se mais difícil. Ele poderá
atrapalha-la mas não a comprometerá embora ainda possa boicotar o
cumprimento do NDC norte americano e, sobretudo, frustrar novos avanços
para fazer face à magnitude do desafio.

O certo é que, durante um determinado período, quaisquer avanços maiores
deverão tangenciar os processos diplomáticos nos quais os EUA possam ter
poder de veto ou de obstrução -como é o caso da UNFCCC– e explorar
caminhos que passam por alianças bi ou plurilaterais entre países ou blocos
dispostos a avançar, como um eixo China-UE-Brasil e/ou articulações entre
esse eixo e agentes econômicos privados, entidades multilaterais (bancos de
desenvolvimento, etc.) e entes públicos subnacionais.

A maior das fraquezas evidentes da movimentação de Trump para reverter os
avanços recentes dos EUA em termos de ação climática é a grande autonomia
dos estados norte-americanos em termos de regulamentação ambiental e sua
própria pujança econlomica. O peso de estados como a Califórnia, Nova York,
lllinois, Washington faz com que sua adoção de padrões de emissão e regras
ambientais mais exigentes condicione o mercado a adota-las por mais que, no
âmbito federal, sejam boicotadas pela na nova gestão (ou liquidação) de Scott
Pruitt à frente da EPA. A indústria automobilística pode se ver livre de alguns
padrões federais de controle de poluição e de eficiência introduzidos pela
administração Obama mas, se quiser vender seus carros vendidos no enorme
mercado da Califórnia, terá de continuar respeitando-os.

No caso do carvão há um dado econômico inescapável: hoje o investimento
em novas unidades geradoras e a criação de empregos se deslocou para a
energia eólica, solar e gás. O solar sozinho cria muito mais empregos que o
carvão e mesmo uma política de forte favorecimento não mudará essa
realidade pois os recursos irão para uma maior automação e, eventualmente,
para o CCS. O solar continuará a empregar cada vez mais mão de obra e o
carvão cada vez menos. Em 2016, o setor de carvão empregava 160 mil (54 mil
na mineração) e o solar 373 mil.

Uma consequência problemática das políticas regressivas e protecionistas que
Trump propugna –mas implementa apenas parcialmente– será a perda de
competitividade em relação a países como a China, o Japão e a Alemanha em
diferentes ramos como equipamentos eólicos e solares. Na indústria
automobilística, sobretudo no advento do carro elétrico, a competitividade
também será afetada pelo seu reacionarismo.

A rede de assistência técnica e apoio financeiro dos EUA, com a USAID e
outros organismos norte-americanos, que Trump quer deixar à mingua, facilita
acesso a mercados que agora tendem a ser perdidos em função da sua atitude
fóbica em relação a “ajuda econômica” a outros países. Nada disso é novo. Já
havia ocorrido nos oito anos de George W Bush mas agora Trump leva essa
idiossincrasia ao extremo. Só que Bush esvaziou o poder regulamentador da
EPA e limitou seu raio de ação. Já Trump a está desmantelando enquanto
instituição. Cortou mais de 40% do seu orçamento e colocou um inimigo da
instituição, advogado de empresas poluidoras, na sua presidência. Quando se
lembra que a EPA foi fundada por um presidente republicano, fortemente
conservador, Richard Nixon e que a Convenção do Clima foi firmada por um
outro republicano George H W Bush (o pai) é possível apreciar na plenitude o
papel de Trump nesse bizarra trajetória.

Geopolítica caótica

A política de Trump em relação a essa questão vital para a humanidade, a
longo prazo, que é a mudança climática, por mais absurda que seja, tem ao
menos o mérito da simplicidade. Ela simplesmente não existe, é uma
“invenção dos chineses” ou das elites “liberais” (no sentido norte-americano
do termo) democratas e ponto final. Já seu posicionamento geopolítico vem
se demostrando confuso ao ponto de virar uma metamorfose ambulante, para
usarmos a imagem do inesquecível Raul Seixas.

Durante a campanha, o discurso de política externa de Trump tinha uma certa
coerência e seguia um filão bem assentado na história do partido Republicano:
o bom e velho isolacionismo. Essa política prevaleceu, entre o final da Primeira
Guerra e o início da Segunda, no período mais prolongado de presidências
republicanas: Waren G Harding, Calvin Coolidge e Hebert Hoover. Iniciou-se
com a humilhação infligida ao último presidente democrata do início do século
XX, Woodrow Wilson, quando os republicanos impediram os EUA a
integrassem a Liga das Nações, que Wilson havia articulado, com argumentos
muito parecidos aos que hoje são regularmente esgrimidos por eles contra a
ONU.

Franklin Roosevelt só conseguiu reverter o isolacionismo quando os EUA,
atacados pelo Japão, em Pearl Harbour, entraram na 11 Guerra. Trump, na
campanha ressuscitou não só esse isolacionismo mas o discurso de
chauvinismo econômico e cultural e atitudes de hostilidade a pa íses
tradicionalmente próximos dos EUA como México, Coreia do Sul, Japão,
Alemanha, instituições, multilaterais como a ONU, a UNFCCC, o Banco
Mundial, o BID, a OTAN, etc … todos acusados de se “dar bem nas nossas
costas”. Manifestou, por outro lado, uma grande simpatia por ditadores ou
líderes fortemente autoritários com Putin, Duterte, Sisi, Erdogan e outros. No
seu discurso os EUA deveriam cuidar dos problemas em casa e se desvincular
totalmente de conflitos que não ameaçassem diretamente seu território ou
seus interesses econômicos diretos.

Isso se articulou com um discurso anti-imigração esse de uma lavra muito mais
antiga dos séculos VIII e XIX quando cada nova leva de imigrantes, irlandeses,
alemães, italianos, poloneses, produzia ruma reação xenófoba dos que haviam
chegado a mais tempo. Nesse sentido Trump -neto de imigrantes alemãesseguiu um padrão bem preciso e com claros precedentes. Em certo momento, no século XIX, isso se havia expressado num partido de nome emblemático, o
Know Nothing Party, o partido dos que Não Sabem Nada. Uma tradição
histórica, portanto.

Uma vez no governo, as coisas logo se complicaram. Trump passou a uma
política ad hoc feita de improvisações, reviravoltas e piruetas. Algumas foram
até positivas. Uma semana depois de fazer elogios ao ditador sírio Bachar
Assad, determinou um bombardeio em represália ao ataque químico contra
civis. Depois de passar a campanha inteira ameaçando a China -uma
“manipuladora de moeda” cujas exportações ira taxar em 45%– aproximou-se
de Xi Jimping. Depois de desafiar os palestinos e o mundo árabe, em geral,
ameaçando mudar a sua embaixada para Jerusalém e depois de nomear um
embaixador em Israel, amigo dos assentamentos e detrator da solução de dois
estados, ele recebeu, na Casa Branca, o presidente da autoridade palestina
Mahmoud Abbas.

Basicamente acabou, sem admiti-lo, dando continuidade a política de Obama
no tocante ao combate ao Estado Islâmico. A grande diferença sendo,
naturalmente, essa sua grande admiração pelos regimes e líderes autoritários
e sua mais que bizarra relação com a Rússia com a qual, muito provavelmente,
tem rabo preso em função, tudo indica, de negócios escusos e bacanais
devidamente documentados pelos herdeiros da KGB com sua velha técnica do
kompromat. (coleta de material comprometedor para efeito de chantagem)
O traço mais marcante (e preocupante) de Trump é esse misto de
infantilidade, megalomania permanente, comportamento errático, ostensiva
desinformação sobre os temas e grande dificuldade de se concentrar neles
minimamente. Esse coquetel psicológico, é um grande fator de risco para o
exercício de qualquer cargo público de chefia, tanto mais para o da
presidência dos EUA, permanentemente acompanhada daquele oficial com a
famosa maleta “football” –os códigos de disparo de armas nucelares– e que
pode, no mundo cada vez mais instável que vivemos, a qualquer momento,
ordenar, em apenas quatro minutos, um ataque nuclear.
Isso é algo assustador porque há pelo menos três situações geopolíticas que,
em mãos ineptas, podem degenerar muito rapidamente em escalada e
conflito: Coreia do Norte, lran e mar da China.

A Coreia do Norte é o caso mais perigoso porque Trump está diante de um
jovem ditador também megalomaníaco, a frente de uma tirania totalitária,
armada até os dentes, que já possui umas 20 ogivas nucelares e busca
desenvolver mísseis capazes de atingirem os EUA. É um regime que no passado
demostrou propensão para correr grandes riscos, capturando um barco espião
norte-americanos e derrubando um avião norte-americanos, nos anos 60 e 70,
e, mais recentemente, afundando uma fragata e bombardeando uma ilha, sulcoreanas.
O regime norte coreano acredita que precisa de uma situação permanente de
tensão com um inimigo exterior pra manter sua coesão e controle social.
Trump já declarou que “simplesmente não vai acontecer” a ambição da Coreia
do Norte de desenvolver um míssil balístico intercontinental.

Os cenários para evita-lo parecem sernos seguintes:

1- um aperto nas sanções econômicas. Ainda haveria uma margem de aperto
mas sem uma participação ativa da China, que teme desestabilizar o vizinho e
considera pior o colapso do regime de Kim Jong-un do que a situação atual,
dificilmente funcionará. Para obter maior colaboração de Beijing, Trump vai
ter que pagar um preço, possivelmente no Mar da China.

2 – um ataque convencional, de precisão, contra o complexo nuclear nortecoreano. Provavelmente resultaria uma segunda guerra da Coreia. Difilmente iria eliminar a totalidade do arsenal nuclear de Kim. Esse certamente exerceria
represálias convencionais em grande escala, ou nucleares, contra a Coreia do
Sul, o Japão e as bases norte-americanas em ambos países. Seul, a pouco mais
de 40 km da fronteira, está particularmente exposta à artilharia do norte;

3 – um ataque nuclear, preventivo, em grande escala. Tão pouco garantiria a
eliminação da totalidade do arsenal nuclear de Kim que possui uma rede de
abrigos subterrâneos. Exporia Coreia do Sul, o Japão e, possivelmente, os
próprios EUA a uma represália nuclear. O regime Kim, a rigor, não precisaria
desenvolver um míssil intercontinental, poderia detonar uma ogiva
dissimulada num barco pesqueiro ou num iate, no litoral de uma cidade da
costa oeste norte-americana. Por outro lado, ao usarem armas nucleares os
EUA estariam quebrando um tabu de mais de mais de 70 anos. Como reagiriam
a China e a Rússia?

A situação coreana poderia eventualmente evoluir com uma dosagem sutil de
mais sanções econômicas, maior participação da China e um novo ciclo de
negociação, visando já não mais a eliminação completa do arsenal nuclear de
Kim mas seu congelamento e o não desenvolvimento do míssil
intercontinental, em troca do fim das manobras militares anuais na Coreia do
Sul que exacerbam a paranoia do regime de Pyonyang. Também teria que
incluir uma declaração formal de fim do conflito. De fato, a guerra da Coreia,
do início dos anos 50, nunca foi legalmente encerrada está apenas suspensa
por um simples armistício. É a solução que está sugerindo a China. Parece
sensata embora nada garanta que Kim venha cumprir sua parte. Trump terá
suficiente tirocínio para lograr essa façanha? Ele começou com do “isso não vai
acontecer” e com um anúncio de deslocamento de uma força tarefa com um
porta aviões (que na verdade navega pelo oceano Índico em sentido contrá.rio
enquanto o noticiário de TV dava a entender que se aproximava da península
coreana). Mais recentemente fez elogios a Kim: “he is a tough cookie” (ele é
bom de briga) depois de imaginar que Xi Jimping resolveria o problema para
ele. Depois acabou concluindo: “é uma situação muito complicada”. É mesmo,
Donald?

O Irã foi quase uma obsessão de Trump, durante toda campanha, quando
somou-se de forma estridente àqueles republicanos que haviam feito o
possível para torpedear o acordo nuclear firmado com o Irã pelos EUA, França,
China, Rússia, Reino Unido e Alemanha, no final do governo de Obama. Ele
dizia, com todas as letras, que iria se retirar do acordo. Atualmente, esse
parece um dos vários posicionamentos de campanha que Trump parece ter
tacitamente colocado de lado, por enquanto. Era uma posição eleitoreira sob
pressão do poderoso lobby da direita israelense liderado pela AIPAC. O próprio
Benjamin Netanyahu, que foi ao Congresso norte-americano denunciar o
acordo, parece ter colocado essa exigência na surdina. O entanto, na
concepção de Obama esse acordo era um primeiro passo. Deveria favorecer
uma melhoria efetiva no Irã, do ponto de vista econômico, que abriria caminho
para uma maior aproximação.

A contínua predominância da linha dura, no que pese sua derrota eleitoral,
inibe o presidente Hassan Rohani a evoluir na distensão e existem as outras
questões -Síria, Hezbollah, lemen– que são obstáculos a uma melhoria efetiva
de relações. Do seu lado, os EUA, sob pressão do congresso republicano, vem
intensificado sanções econômicas diretas ou indiretas que embora não
contrariem a letra do acordo vão contra o seu espírito e atrapalham Rohani na
sua necessidade demostrar a população os frutos concretos de ter negociado
com o “grande satã” .

A linha dura iraniana baseada no aparato militar e de segurança, abençoado
pelo aiatolá Khamenei, por sua vez se posiciona contrariamente a qualquer
aproximação e busca expandir suas conquistas ou influências no lraque, Síria,
Líbano e lemen. Essa dialética entre a linha dura de Teerã e os republicanos
pode facilmente levar ao colapso do acordo com tudo que isso implica: a
retomada do programa nuclear militar do Irã e o risco de um ataque às suas
instalações por parte de Israel e/ou dos EUA. A situação na Síria com os
frequentes ataques aéreos israelenses contra transferências de armas
modernas para o Hezbollah e incidentes na região do Golan, onde a
organização xiita pro-lrã tenta se estabelecer, são pontos onde facilmente
tensões podem degenerar em guerras. O mesmo vale para o fraque onde
forças especiais dos EUA e a Guarda Revolucionária do Irã e suas milícias
iraquianas praticamente coabitam.

A situação de mais grave em potencial, embora, a curto prazo, apresente
risco menor, é a do mar da China com ilhas reivindicadas pela China mas
também Vietnam, Japão e Filipinas. A China vem construindo ilhas artificiais e
bases militares, os EUA mantêm a tradição de efetuar patrulhas navais na área
para ostentar a “liberdade de navegação” em águas que considera
internacionais. Na área já ocorreram incidentes e provocações entre barcos
pesqueiros e barcos de guerra da China, do Vietnam e do Japão e a ocupação
de uma ilha reivindicada pela China por ativistas nacionalistas japoneses. Um
incidente envolvendo navios norte-americanos e chineses pode ocorrer.

Outro foco potencial de conflito geopolítico é o da China com Taiwan,
considerada uma província rebelde, desde 1948. O atual governo de Taiwan é
independentista -embora não a propugne não de imediato– e erros de
cálculo de são possíveis. Os EUA assumiram o compromisso de defender
Taiwan no caso de um ataque chinês o que os deixa de certa forma reféns dos
atos dos independentistas que, até agora, não agiram de forma aventureira
mas nada garante o futuro quando uma nova geração menos prudente chega
ao governo.

• Finalmente, temos o conjunto de tensões com a Rússia. A estranha
proximidade de Trump com Putin vem sendo comprometida pelos escândalos
e investigações sobre uma possível ligação da sua campanha com a inteligência
russa. Geopoliticamente, há diversos focos de desentendimento potencial
porque os interesses são objetivamente conflitantes. Putin, um nostálgico do
império da URSS, quer restabelecer uma zona de hegemonia geopolítica a
mais ampla possível, que inclui a Ucrânia, cujo leste ocupa por intermédio de
milícias russo-ucranianas interpostas e a Criméia que já anexou formalmente
ao território da Rússia.

Nos países bálticos: Letonia, Estonia e Lituânia, há importantes minorias
nacionais russas que se sentem discriminadas havendo um compromisso de
Putin de protege-las. Finalmente temos o atual governo de extrema-direita da
Polônia que cultiva valores nacionalistas similares aos de Putin, só que
historicamente adversos, alimentando um profundo ressentimento anti-russo
recentemente agravado pela narrativa, totalmente delirante, que aponta
Moscou como responsáveis pelo desastre aéreo que custou a vida do
presidente Lech Kaczinski, numa visita a Smolensk, para celebrar o aniversário
do massacre de Katyn, em 1940, quando milhares de oficiais poloneses,
prisioneiros de guerra, foram executados por ordem Josef Stalin. A extremadireita polonesa brinca com fogo ao tentar alimentar esse mito soprando as
brasas de conflitos históricos e ódios nacionais arraigados que já custaram
tantas vidas no passado.

Todas essas e algumas outras situações demandam por parte dos EUA a
liderança inteligente e sóbria de um presidente como era Barack Obama, frio,
cerebral, muito bem informado e capaz de empatia, equilibrando-se sempre
entre idealismo e realismo com um claro propósito histórico. Herdou uma
situação econômica e geopolítica terríveis. Recuperou a economia norteamericana com uma estratégia neokeynesiana e reparou, até certo ponto, o prejuízo causado pela catastrófica decisão de George W Bush ao invadir o
lraque. É criticado no seu próprio partido por não ter tido uma postura mais
intervencionista na guerra civil da Síria mas é questionável se ela -que em
nenhum momento contou com o respaldo da opinião pública norteamericana-teria resolvido ou agravado a situação. Agora as mesmas crises geopolíticas são herdadas por um presidente ainda menos preparado
intelectualmente que George W Bush e que constitui um risco permanente.

Novas ameaças

• Somados e combinados com todos esses focos de conflito geopolítico
“tradicionais” temos as tensões econômicas decorrentes do posicionamento
protecionista propugnado por Trump, na campanha, que ele também vem
tendo dificuldade de por em prática, no governo, mas que continuam a causar
incerteza, preocupação e medo. A retirada da NAFTA, acordo comercial com o
México e o Canadá, o muro ao longo do rio Grande, os conflitos comerciais
com a China e a Alemanha que, segundo Trump, use dão bem em cima de
nós”. A antipatia face a UE, a desconfiança da OMC, do Banco Mundial e do
BID. Uma eventual disputa protecionista estimulada por Trump ou decorrente
do Brexit, a retirada do Reino Unido da UE, com risco de virar um superparaíso fiscal, certamente contribuem para exacerbar tensões internacionaiscomo ocorreu nos caóticos anos que precederam a 11 Guerra onde a recuperação da crise de 1929 foi fortemente atrapalhada pelas disputas comerciais e cambiais protecionistas.

Para coroar o quadro de instabilidade temos o papel inédito jogado pelos
agentes não-governamentais: terrorismo djihadista, narcotráfico internacional
e pirata ria cibernética. Cada um desses problemas é um universo a parte que
demanda grandes esforços e muita concertação entre os governos e com as
sociedades civis. No caso do narcotráfico demandaria uma revisão radical da
concepção de “guerra às drogas” que Ronald Reagan impôs à ONU e que só
tem feito agravar, exponencialmente, o sofrimento humano, enriquecer e
empoderar mais o crime organizado, corroer e corromper o estado em
inúmeros países.

O pano de fundo de tudo isso é uma economia global que tende a não mais
ter o crescimento espetacular que de décadas passadas e cuja distribuição de
renda piora, globalmente, embora tenha tirado da miséria e da pobreza
quantidades inéditas de gente, em alguns países em desenvolvimento como foi
o caso da China. O mundo desenvolvido, onde essa concentração se agravou e
onde grandes contingentes de trabalhadores, sobretudo na indústria, sentem o
desemprego persistente e a evidência de que a vida dos filhos será menos
próspera que a da geração anterior, tronou-se vulnerável a um populismo de
direita do qual o próprio Trump é expressão eloquente.

Esse contingente, pouco instruído, despreparado para lidar com a
globalização, sensível a discursos nacionalistas, anti-imigração e autoritários
deu a Trump uma base sólida para sua eleição (minoritária), possibilitou o
Brexit e levou a governos autoritários de extrema-direita, na Hungria, na
Polônia e nas Filipinas. O modelo mais sofisticado de exercício do poder nesse
estilo é o de Putin. A Rússia virou um país de demografia fortemente
decrescente, dependente de matérias primas, sobretudo petróleo, dominado
por urna oligarquia capitalista selvagem, apoiada numa forte máquina
repressiva e de propaganda com controle total do processo político.
Para Trump o grande atrativo de Putin é justamente essa capacidade de se
impor, fazer valer sua vontade, esmagar os opositores e se perpetuar no
poder, sem um sistema de pesos e contrapesos das democracias que ambos
desprezam. A Rússia passou a ser um modelo já não mais para uma velha
esquerda, sonhando com seu modelo socialista, mas para a nova direita
ansiando por um governo forte, autoritário e ferozmente nacionalista.

Os primeiros meses do governo Trump são uma montanha russa diária com
declarações escalofobéticas, reviravoltas e ziguezagues que deixam tontos os
observadores. Há, no entanto, nos seus atos, uma certa clareza de propósitos
altamente reacionários no tocante ao desmantelamento do seguro saúde,
apelidado de Obamacare, que na próxima década poderá privar 24 milhões de
norte-americanos de qualquer proteção digna do nome; a redução de
impostos para os mais ricos e a destruição dos avanços ambientais climáticos.

Trum p poderá se enredar numa situação parecida à que levou Richard Nixon
ao impeachment, em 1974. Também paira sobre ele a emenda 25 da
Constituição que permite afastar um presidente “incapacitado” por decisão da
maioria dos secretários e do vice presidente acompanhados pelo voto de 2/3
do Congresso. Foi certamente pensada para outro tipo de situação (uma
doença incapacitante, tipo AVC ou uma morte cerebral num atentado) mas
certamente aplicar-se ia a situações de comportamentos extremos que podem
de fato acontecer com esse personagem.

São caminhos que nesse momento parecem altamente improváveis, na atual
correlação de forças, na qual os republicanos têm maioria nas duas casas do
Congresso e na Suprema Corte. Não sabemos ainda qual os limites de
insanidade que Trump teria de transgredir para que um número suficiente de
republicanos decidisse promover sua substituição pelo vice presidente Mike
Pence.

Todos olhos estão postos nas eleições de 2018 quando a Câmara e parte do
Senado são renovados. No Senado, a tarefa dos democratas é muito ingrata
pois a grande maioria das cadeiras em disputa é atualmente controlada por
eles próprios e há pouca margem para reverter a escassa maioria republ icana .
Na C5mara existe o tradicional problema do chamdo gerrymandering (uma
forma de dividir os distritos eleitorais que favorece fortemente dos
republicanos que controlam a maioria dos governos de estado e assembleias
estaduais que a decidem).

Com toda a impopularidade precoce de Trump, 80% dos republicanos ainda o
apoiam porque conseguiu emplacar junto a esse eleitorado que se informa
pela Fox News e pelas redes sociais militantes sua narrativa, totalmente
indiferente aos fatos, desacreditar imprensa e seus “fatos objetivos” e fazer
valer seus “fatos alternativos”. Ou seja, nada garante que estejamos diante de
um fenômeno efêmero. Algo se quebrou na sociedade norte-americana como
a conr :?d amos.
Se a popularidade de Trump junto à base republicana for se erodindo, aos
poucos, restar-lhe-á aquele velho recurso do qual um presidente norteamericano, impopular, pode lançar mão: uma demonstração bélica em alguma parte do mundo. Trump já o fez ao bombardear uma base aérea na Síria. Foi
uma decisão que se pode até considerar justa em função da flagrante
violação, por parte do regime Assad, do acordo de eliminação das armas
químicas com os EUA e a Rússia com supervisão da ONU. Foi também o único
momento em que sua popularidade recuperou alguns pontos. Um atentado
terrorista de grande magnitude também pode ajuda-lo, quanto pior, melhor
para ele.

Trata-se portanto de uma situação totalmente inédita e imprevisível que afeta
perigosamente a economia e geopolítica globais e entrava os mais importantes
esforços para lidar com os mais importantes problemas que se colocam diante
da comunidade internacional: o enfrentamento das mudanças climáticas, da
miséria e desigualdade crescentes, da falta de mecanismos adequados de
financiamento para um desenvolvimento sustentável e de baixo carbono; a
prevenção e resolução de conflitos e dos riscos de proliferação nuclear. É uma
situação internacional que também não favorece a recuperação da economia e
das instituições no Brasil que, em tese, poderia encontrar novos espaço de
afirmação e de alianças, nessa conjuntura internacional, com a Europa, China e
entes sub-nacionais norte-americanos, mas que se encontra amarrado aos
seus próprios problemas, incapaz de aproveitar oportunidades e de ocupar
espaços que eventualmente se vislumbrem. São as evidencias internacionais e
nacionais de uma tempestade perfeita .

Compartilhe!
Tags: (psb-ce) #elenão 002 002/2018 005 0062021 05 0800 1 1 de maio 10 10 de dezembro 10.540 100 100 anos 100 anos arraes 100 dias 1000 101 anos 104 11 11ª 12 12.305/2010 120 12º 13 13 de maio 13º 14 141 anos 14º 14º congresso 15 15 de março 150 1595/2019 18 18 anos 19 1964 1988 1º de maio 1º7 2 outubro 2.824/2020 2% 20 de novembro 20% 200 2013 2014 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2030 2050 21 215 22 23 24 24 h 247 25 27 287 2deoutubro 3 3 bi 3 bilhões 30 anos 30% 300 300 mil 31 de março 32 33% 39% 3ª guerra 4 40 41 mil 42 45 5 5 milhões 5.543 50 500 51 52 5359/19 55 55 anos 55/2016 5543 56 56 anos 56ª 57º 59% 5g 6 60% 600 62 635 64 7 7 de setembro 7 mil 70 70 anos 700 72 72 anos 73 73 anos 74 anos 77 8 de março 8% 80 anos 81% 84% 87 88 8m 90 90 anos 9001 910 927 98% à a favor à frente a história do psb nos estados brasileiros a importância da água para a vida abaixo abamectina abandono abastecimento abastecimento de água abertura abin abolição abona abono aborto abraham Abraham Weintraub abre abreu abrigo abrigo noturno abrigos abril absorventes abuso acadêmicos ação ação direta de inconstitucionalidade ação judicial ação policial ação popular acata aceitaremos acelera acervo acervo digital acesso aché acidente acidente doméstico acidentes acilino acilino ribeiro acima aciona acionam acionar acnur ações acolher acolhimento acompanhamento acompanhar acordo acordo de paris acordos de leniência acre acreditamcorrupção açúcar acursatório adaptadas adaptados adere aderem adesão ADI adi 5543 adi 6371 adi 6379 adi 6476 adi 6574 adia adiada adiamento adilton sachetti adin adin 5543 administração administrativa administrativo adoção adolescencia adolescente adolescentes adota adotam adpf adpf 365 adpf 635 adpf 800 adquirir adriano adriano sandri adulta adutora adverte advogada advogado advogados afastamento afeta afetadas afirma afirmam afogados afro afrodescendentes agência agência brasil agencia espacial agência nacional de saúde agências agenda agenda 2030 agenda 40 agenda 40 eduardo campos agenda mulher agente Agente Jovem Ambiental agentes agilizar agitadores aglomeração aglomerações aglomoração agoniza agora agostinho agosto agosto dourado agráfia agrava agravam agressão agressor agreste agrícola agricultor agricultor familiar agricultores agricultores familiares agricultura agricultura familiar agronegócio agropecuária agrotóxico agrotóxicos água água tratada águas ai-5 aidan aids ainda aires ajuda ajudar ajuiza akuanduba alagoas alberto fernández albuquerqu albuquerque alcança alcântara alcemir freire álcool álcool em gel aldir Aldir Blanc aldo rebelo alego alegre aleitamento aleitamento materno alejandro alejandro silva além alemanha alencar alepe alerj alertam alesp alessadro molon alessando molon alessandro alessandro molon alexandre alexandre de freitas barbosa alexandre de moraes alexandre navarro Alfabetiza Maceió alfabetização alfabetizada alfredo sirkis algemada aliado aliança aliança do descoberto alice portugal aliel aliel machado alielmachado alimentação alimentar alimentícias alimentos alimetos alíquota alistamento alistamento civil almeida alta altera alteração alterações alternância alternativas alto alto capiberibe aluguel alunos alusão amamentação amapá amaral amarelo amastha amazon amazonas amazônia amazonia 4.0 amazonia azul amazônico ambientais ambiental ambientalista ambiente ambientes ambulantes ambulatório lgbt ameaça ameaçados ameaças américa américa latina americana americano amicus amicus curiae amigas amlo amostra ampla amplia ampliação ampliar amplíssima amupe ana ana arraes ana carla fonseca anabel lorenzi analfabetismo analisa análise anatel ancine andrade andré barrocal Andrés Manuel López Obrador andrino aneel Ángel Gurría ângelo Angra dos Reis animações animais animais dosméticos anistia anistia internacional aniversário ano anos ans antecipa anti-corrupção anti-homofobia anticorrupção anticrime anticrise antidemocrática antidemocráticas antídodo antifascismo antirracista antônio antônio campos antonio candido antônio carlos valadares antônio houaiss anual anuário anulação anular anuncia anúncio anvisa ao ao vivo aos ap apagão apelo aperfeiçoar apesenta apib aplicados aplicativo aplicativos apoiam apoio apoios após aposentado aposentadoria aposentados aposta apostila app apreensão apresenta apresentação apresentam apresentar apresentaram aprofunda aprova aprovação aprovada aprovado aprovando aprovou apuração apuram aquecimento global aquino aquisição ar ar-condicionado araçatuba araújo arcebispo área áreas áreas urbanas argentina arguição ariano ariano suassuna arma arma de fogo armadas armamentista armamento armando fortunato armas armas de fogo armazenamento armazéns arquitetura arquivamento arraes arte arthur lira arthur maia articula artificial artigo artigo 19 artigo molon artistas artística as às avessas asfalto assassinato assassinatos assédio assembleia assembleia legislativa assembleia legislativa de pernambuco assembleias assentamento assina assinado assinam assinaturas assista assistência assistência médica assistência social associação assume assunção ataque ataques até atenção atende atendimento atendimentos atentado atentavam atila atila jacomussi atitude ativa atividades ativos atlantico sul atlas atleta atletas ato ato cultural ato de filiação ato em defesa do suas ato institucional Ato Institucional Nº 5 ato político ato político e cultural ato virtual atos atrasa atribuição atuação atuam audiência audiência pública audiências audiovisual auditoria Augusto Aras augusto heleno aula aulas aulas presenciais aumenta aumentar aumentará aumento aumentos aumentou auschwitz ausência austin autismo autistas auto autocritica autoestima autofinanciamento autonomia autoria autoridades autoritade autoritária autoritário autoritarismo autoriza autorização autorreforma autos auxiílio auxiílio emergencial auxiliar auxílio auxílio brasil auxilio emer auxílio emergencial auxilio financeiro auxílios avaaz avaliada avaliados avaliar avança avanço avante averbação avião aviso ayache azevedo bacalhau bachelet bacia do descoberto bahia baixa baixa renda baixo balaço balanço balbúrdia baleia balneário balneário camboriú bancada bancada da câmara bancada do psb bancada feminina bancada socialista bancadas banco banco central banco do brasil bancos band banda larga bandeira Bandeira de Mello banimento barateamento barbárie barbosa barcelona barragem barragens barretos barros barroso base base de alcântara básica básicas básico basta batalha bate bate-papo bebê bebeto bebeto galvão belém belo horizonte bem beneficia beneficiar beneficiários benefício benefícios benguela bens bertha bessa beto beto albuequerque beto albuquerque bezerra biblioteca bibliotecas bicentenário da revolução pernambucana biden bids bienal bilhões bilionários biocombustíveis biocombustível bioconstrução biológicos bioma biomassa biometria biométrico biotecnologia bira bira do pindará bira do pindaré bisol bispo bispo do povo bispos blanc blindados bloco bloco socialismo e democracia bloqueio bloqueio de bens bloqueios blumenau bndes boas boaventura bodega boeachat boiada boletim boletim conjuntura bolivia bolle bolonaro bolsa bolsa atleta bolsa escola bolsa família bolsas bolsas de estudo bolsoaro bolsolão bolsonao bolsonar bolsonarista bolsonaro bolsonaros Bolsoro bomtempo bope bornhausen bosco bosonaro bovino bpc br bracarense braga braile braille branca branco brasi brasil brasil um passo adiante brasil verde brasil-cuba brasileira brasileiro brasileiros brasília braziliense brebis breves briga brigada brigada maria da penha brigadas brigida quiroga brille brincar bruck brumadinho bruno covas bruno lamas brutalidade bruxas bullying burocracia busca butantan C&T cabral caça cáceres cadastro cadastros caderno caem caf café café com política caged cai caio caio frança caio prado caio prado jr caio prado junior caixa Caixa Econômica calamidade calamidade pública calavieri caldas calendário calote calúnia calvário câmara câmara dos deputados camarinha camarote camboriú camelôs cameras camilo camilo capiberibe caminhoneiros caminhos campanha campanha da fraternidade campanhas campinas campo campos campus canabidiol canadá canal cancela cancelada cancelado cancelados cancelamento cancelamento de filiação cancelar câncer câncer de colo candidata candidatas candidato candidatos candidatura candidaturas candidaturas femininas caos capacitação capanema capes capiberibe capitais capital capitão capitiais capixaba capixabas captação caráter caravana carbono cardoso carentes carf carga cargo cargos Carla Zambelli carlos Carlos Alberto Decotelli carlos amasta carlos amastha carlos casagrande carlos leite carlos lessa carlos martins carlos minc carlos siqueira carmen carmen lucia carnaval carnaval inclusivo carnavalescos carne carne fraca carneiro caro caros carreatas carrera carreras carro carta carta aberta carta capital carta compromisso carta da diversidade carta do recife cartão cartão corporativo cartas carteira carteiras cartilha cartilha do professor cartões caruaru carvalho casa casa amarela Casa arrumada casa civil casa dos conselhos casagrande casagrante casais casas casos cassação cássio cássio andrade castanha castramóvel castro catalisando catarina catarina paladini cátedra católica causa causas Cavalcante cbf ccj ccjc cct cdhm ceará cef cegas cego cegos celebra celebração celpe celso celso amorim celso de mello celular celulares cem anos cem anos miguel arraes cen cenário censo censo demográfico censura centavo centenário centenário miguel arraes centrais sindicais centrão centro centro de formação centro-direita centro-oeste centros cepal cepi ceplan cerceamento cerimônia certame certames certo cerveja césar benjamin cesgranrio cessão cesta cesta básica cestas básicas cet CF cfm cgu chacina chagas chancela chapas chapecó chapecoense chapéu charme chega chegando junto cheque chesf chiazzaro chiba chile china chines chinesa chuch chuva chuvas ciclo cida ramos cidadania cidadão cidadãos cidadãs cidade cidade madura cidade mais inteligente cidades cidades criativa cidades criativas cidades inclusivas cidades socialistas cidades sustentáveis ciência ciência e tecnlogia ciência e tecnologia ciências ciganos cinco cindra cinema cinemateca cirurgia cirurgias cisternas citado cities cível civil civilizatório civis classifica Cláudia Leitão claudio claudio vignatti Clima clima econômico climática climáticas cloroquina clp clt clube clube do livro clubes cma cmei CMPI cnbb cnh cnh digital cnh-e cnmp cnpe cnpq cobra cobrança código código de processo penal código de trânsito código de trânsito brasileiro código penal coelho coerência cofins cofres cofres públicos cohen coisas coivd colaborativa coletiva coligação coligações collor colniza coloca colômbia com comando combate combate à corrupção combate ao desperdício combate corrupção combatem combater combustíveis come começa começo comemora comemoração comemorações comemorativo comemorou comerciais comida comissão comissão da verdade comissão de defesa dos direitos da pessoa idosa comissão de educação Comissão de Integração Nacional comissão de seguridade social comissão de turismo comissão do idoso comissão educação comissão eleitoral comissão especial comissão estadual da verdade comissão executiva nacional comissão externa comissão nacional da verdade comissões comissões permanentes comitê comitê pró-diretas já comitiva commodities como compartilhada compartilhamento compartilhar compartilhem compaz compaz ariano suassuna compaz governador miguel arraes compensar competência competição competitividade completa completaria complexo complexo habitacional compliance compra compras compreender compromisso compromissos compulsório computador computadores comum comunicação comunicação com filiados comunidade comunidades comunitário conab conama concede conceitos concentração concessão concessionárias concessões conclama conclui concluídas conclusão concorre concorrer concursados concurso concursos conde condena condenados condições condomínio conduta conecta recife conectada conectar conectividade conexão confama conferência conferência nacional conferência nacional dos bispos do brasil confiável confinamento confirma conflagração conflito congelamento de gastos congesso congresso congresso em foco congresso estadual congresso municipal congresso nacional congressos congressos estaduais congressos municipais congressp conhecimento Conib conjunto conjuntura conjuntura internacional conjuntura política conquista conquistas sociais consciência consciência negra conscientização consea consecutivo consecutivos conselheira conselho conselho curador conselho de ética conselhos conselhos federais conselhos tutelares considerações consignado consignados consolida consolidação das leis trabalhistas consórcio constitucional constitucionalidade constituição constituinte constragimento construção construída construir cônsules consulta consultor consumidor consumidores consumo conta contag contagem contas contas públicas contemporâneo contenção conter contesta conteúdo conteúdos contingência contingenciamento contra contrabando contrária contratação contraterrorista contrato contratos contribua contribuição contribuições contribuintes controladoria controle controle social contumazes conune convenção convenções convênio convergência convida convite convoca convocação convocatória coodrdenação cooperações coordena coordenação coordenação socialista coordenador coordenadores cop cop 23 cop 24 cop 25 cop-26 cop22 cop26 copa copa américa copacabana copergás copom coração coragem cordeiro coreia do sul Corona coronavac coronavírus coronovírus corporativo corporativos correia correio correio braziliense correios corrigir corrupção corruptos corte corte de verbas cortes cortina corujão cosciência costa cota cotas coutinho covax covaxin covid covid-19 covid19 cpf cpi cpi da carne fraca cpi das fake news CPI do Assassinato de Jovens cpi do óleo cpmi cpmi das fake news cpmi ds fake news cpmi fake news creche creche-escola creches crédito crédito popular cresce cresceram crescimento creuza creuza pereira cria criação criada criador criados criança criança alfabetizada crianças crianças e adolescentes criativa criativas criatividade criativo crime crime de responsabilidade crime organizado crimes crimes contra a honra criminais criminalidade criminalização criminalize criminosos crise crise econômica crise energetica crise hídrica crise sanitária cristão cristina cristina almeida critério critérios critica crítica social criticam críticas crítico criticou cronograma cruel cruz csl csl-mgi csl/mgi ctb cuba cubanas cubanos cuiabá cuidar culpa culpado cultura cultura da paz cultura sem censura culturais cultural cúmplices cumpre cumprem cumprimenta cumprimento cumpriu Cúpula cupula de pequim cupula do clima cura curador curae curiae curitiba currículos curso curso a distância curso de formação curso de formação política curso preparatório cursos curumins curvelância custo d da da mata dados daiana daiane dallagnol damares daniel daniel pereira danilo danilo cabral danilo forte dantas dão data data magna datafolha datas Davi Alcolumbre david david almeida davos dayane de de lei debate debate autorrreforma debatem debates década decide decido decifra-me decisão declaração Declaração Universal dos Direitos Humanos declarações decoro decretação decreto decretos defende defendem defensivos defensor defensor público defensoria defesa defesa da petrobras defesa do consumidor Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa deficiência deficiente deficientes deficientes visuais déficit deformações deixar deixem deja vu delações delegações delegados delgado deliberação deliberar Deltan Dallagnol demais demarcação demissão demissões democracia democratas democrática democráticas democrático democrcia demora dengue denis denis bezerra deniz bezerra denúncia denunciado denúncias dependentes depoimento deportação deputada deputada estadual deputada federal deputada janete deputadas deputado deputado estadual deputado federal deputado federal george hilton deputado tadeu alencar deputado valadares deputado;danilo;cabral;ensino;médio;pernambuco deputados deputados distritais deputados estaduais deputados federais derramamento derrota derrotar derruba desafio desafios desarmamamento desarmamento desarme desastre desastres descaradamente descartáveis descaso desconsidera desconstrução desconstruir desconto descontrução descriminalização descumpre desempenho desempregado desempregados desemprego desencantamento desenvolvimento desenvolvimento economico Desenvolvimento Regional e da Amazônia desenvolvimento rural desenvolvimento sustentável desestabilização desestatização desfile desfiliação desfio design desigualdade desigualdade social desigualdades desigualdades sociais desinformação desistir desmando desmatadores desmatamento desmonte despacho despede despede-se despedida despejo desperdício despesas desprezo desprovidos desqualificados dessalinização destaca destacam destaque destaques destina destinação destinam destinar destino seguro destruição desvinculação desvio detalhar determina devedores devemos deveria devolva devolve dez df dia dia 27 dia da amazônia dia da arvore dia da consciência negra dia da criança dia da independência dia da mulher dia das mulheres dia de nossa senhora aparecida dia do estudante dia do trabalhador Dia do Trabalho dia internacional d mulher dia internacional da democracia dia internacional da mulher dia internacional das mulheres Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Dia Internacional do Direito a Verdade dia internacional do orgulho lgbt dia internacional dos direitos humanos dia mundial da agua dia mundial da natureza dia nacional da consciência negra dia nacional do perdão diadaboiada diagnóstico diap diário diário da manhã dias dias toffoli dieese diesel difamação diferenciada dificulta digitais digital digitalização dignidade dilma diminuem diminui diminuição dino dionizio diploma direção direção nacional direções direita direito direito da mulher direito social direitos direitos da mulher direitos das mulheres direitos humanos direitos já direitos sociais direitos trabalhistas direta diretas diretas já diretoria diretório diretorio na diretório nacional diretórios diretórios estaduais discipliar disciplinares discriminação discurso discute discutem discutir disparo disponibiliza dispositivos disputa disseminação distância distribuição distrital distrital misto distritão distrito federal ditadura ditadura militar diversidade dívida dívida histórica dívida pública dívidas dividendos divigal divulga divulgação diz dizem dn do doa doação doação de sangue doações doadores dobra dobrar dobro dobrou documentário documento documentos doença doenças doenças raras dogma dois dom dom helder dom hélder câmara Dom Orlando Brandes Dom Pedro Casaldáliga doméstica doméstico domésticos domiciliar domingos domingos leonelli donizette dora dora pires dose doses dosul douglas alves doula doutor montenegro download doxxing drauzio varella drenagem drive-thru drogas drones duarte duarte jr duas dubai ducci dumas duque durante duras dutra é é preciso pensar como temos retribuído a eles é socialista EAD ecocídio Economia economia criativa economia criativo econômica economicas econômico econômicos economista ecossocialismo edição edifício editais edital Edmilson Rodrigues edson edson fachin eduardo eduardo bolsonaro eduardo campos Eduardo Pazuello educa mais educação educação básica educação em pernambuco educação especial educação inclusiva educação infantil educação precoce educacionais educarecife efeitos efetivas eficácia eficiência eficientes egito eixo elaboração elaborar elber batalha ele não elege elegem eleição eleição 2020 eleição municipal eleição suplementar eleiçõe eleições eleições 2014 eleições 2016 eleições 2018 eleições 2020 eleições diretas eleições municipais eleições presidenciais eleita eleito eleitor eleitoral eleitoreira eleitores eleitos eleonora menicucci eletivas elétrica elétrico eletrobras eletrônico eleva eliane cristina monteiro da silva elias elias jabbour elias vaz eliene Eliene Liberato elite elizeu elogia em em foco embaixada embaixador embaixo embarga embargo embarque embriagado emenda emenda constitucional emendas ementas emerencial emergecial emergência emergenciais emergencial emidinho emissão emite emitir emocional emplacamento empoderamente empoderamento feminino empossa empossado empreendedor empreendedora empreendedorismo empregado Emprego emprego pe empregos empresa empresas empréstimo empréstimos en enccla encerra encerramento enchentes encontra encontro endeavor enem energia energia renovável energia solar energias limpas energias renováveis ênfase enfermagem enfermeiros enfraquecer enfrentamento enfrentar engajamento engajar enganosas enquanto ensino ensino médio ensino superior enterra entidade entidades entra entrega entregadores entregam entregue entrevista entronização entubação envia enviado enviam eólica epidemia epidemias equador equilíbrio equipamentos ernesto araújo ernesto geisel erradicação erro erros erva-mate es es solidario escalpelamento escassez esclarecimento esclarecimentos escócia escola escola cidadã escola indígena escola no senado escola sem censura escola sem mordaça escola sem partido escolar escolares escolaridade escolas escolas cidadãs escolas públicas escolha escolido esconder escravatura escravidão escravo escrita escritura escrituras esgoto espaço espaço da mulher espaço lgbt espaços espanha espanhola especial especialistas espera espírito espírito santo esplanada esporte esportes esportiva esportivos esquecimento esquerda esquerda democrática essa essa não essa reforma da previdência não estadão estadio estádios estado estado da paraíba estado de s. paulo estado presente estados estados unidos estaduais estadual estão estatais estatal estatuto estatuto do torcedor este estela Estela Bezerra estende esterilização estirilização estradas estrangeiras estrangeiros estratégia estratégias estratégico estrutural estruturantes estudante estudantes estudantes com deficiência estudo estudos estupradores estupro etapa etapas ética etnia eua europa europeia evasão evasão escolar evento eventual evitado evitam evoca evoluir ex-deputado federal ex-diretor ex-governador ex-líderes ex-ministro ex-prefeito ex-presidente exame exame nacional do ensino médio excelência excludente excluídos exclusão exclusiva exclusivos executar executiva executiva estadual executiva nacional executivas exemplos exército exige exigência exigências exitosas exoneração expansão experiência explica explicação explicações explicar explicita explique exploração exploração sexual exportação exposição exposição fotográfica expressa expressão expulsa expulsão expulsar exterior extermínio externa extinão extingue extinguir extra extrema pobreza extrema-direita fab fábio fábio dantas fábio garcia fábio maia fábrica fábrica de cidadania fabricar fabrício Fabrício Queiroz façam facção fachin facilita facilitar faculdade fagnani fake fake news fala falciforme falecimento falhas falsas falsificação falta faltas família familiar familiares famílias fao farc faria farmacêuticos farroupilha fascista fat faturamento favela favelas favorável favorece faz faz mal fazenda pública fdne febrerista fecha fechamento fechamento de questão fechar fechar questão federação federais federal federalismo federasul federativo feijão feirantes feiras felipe felipe carreras felipe peixoto felipe rigoni feminicídio feminicídios feminina feminino feminismo feminista fenaj feriado ferias feridos fernanda fernando fernando azevedo e silva fernando bezerra fernando bezerra coelho fernando coelho filho fernando mousinho fernando peregrino ferreira ferreirinha festvida fetaemg fez fgts ficha fidel fies figueiredo figura fila fila de espera filas filho filhos filia filia-se filiação filiações filiados filiam-se fim final finanças financeira financeirização financeiro financeiros financia financiamento financiamento eleitoral financiamento estudantil financiem fiocruz fique firma firmados firmar firmino fiscais fiscal fiscalização fiscalizar físico fizeram fjm flávio flavio bolsonaro flavio dino flexibiliza flexibilização flexibilizam floresta florestal florestas fmi FNDCT fnde fnp foco fogo foletto folha folha de s. paulo fome fomentar fomento fonseca fora fora bolsonaro forabolsonaro força força sindical da bahia forças forças armadas formação formação política formaliza formar formulário fornecimento foro foro de são paulo foro privilegiado fortalecer fortalecimento fortaleza forte fortes fortuna fortunas fórum fórum da oposição fórum internacional fórum mundial da água fórum nordeste fórum pela democracia foto fotos fotovoltaica fotovoltaicas fotovoltaicos.paulo FPAF fracassa frança francisco franco franquia frase frase do dia fratelli fraternidade fraude fraudes freedom freire freixo frente frente ampla frente nacional de prefeitos frente nacional dos prefeitos frente parlamentar frente parlamentar ambientalista Frente Parlamentar de Apoio à Indústria da Construção e do Mercado Imobiliário Frente Parlamentar em Defesa da Chesf frente parlamentar em defesa do saneamento Frente Parlamentar em Defesa do Sistema Único de Assistência Social Frente Popular do Recife frente suprapartidária fronteiras frutas FSA fsb fucionários fujian fumaça funai funarte funcional funcionários funções fundação fundação joão mangabeira fundações fundador fundamental fundamentalismo fundamentos fundamentos políticos fundeb fundo fundo de desenvolvimento do nordeste fundo de financiamento estudantil fundo de garantia fundo monetário internacional fundo nacional fundo setorial do audiovisual funrural funset fura-filas furnas fusão futebol futebol feminino futuro fux fuzis g1 gabinete gabinete da mulher gabinete do odio gabriela galdino galeria galvão gamelas gandhi ganha ganhe Ganhe o mundo garante garantia garantir garcia garimpeiros garimpo garopaba gás gás de cozinha gás natural gasolina gasta gasto gastos gaúchos gay gdf gelson rodrigues general General Pazuello gênero genocídio george hilton gera geração gerais geraismg geral geraldo geraldo julio gervásio gervásio maia gervásio mais gestão gestão compartilhada gestão de dados gestão estadual gestão municipal gestão pública gestões gestor gestores gestores públicos gildelson felício de jesus gilmar gilmar mender Gilmar Mendes gilson dipp ginásio gini giovane giovane wickert gira mundo glasgow gláucio julianelli gleen gleide gleide ângelo gleisi hoffmann glenn glenn greenwald global globo globonews góes goiânia goiás golpe golpe de 64 golpe de Estado gomes gonzaga patriota google gordura gordura trans gouvêa governador governadores governadro governamentais governamental governança governantes governar governistas governo governo bolsonaro governo britânico governo da paraíba governo de brasília governo de pernambuco governo de são paulo governo de tocantins governo distrito federal governo do df governo do espírito santo governo do estado governo do maranhao governo do tocantins governo es governo estadual governo federa governo federal governos gps graduação grande grande do sul grandes contribuintes gratificação gratuidade gratuito gratuitos gravadores gravatá gravataí gravidez greenpeace greenwald greta Greta Thunberg greve bancária grilagem grilheiros gripe grito grito das ruas grito dos excluídos grossa grosso grupo grupo mulheres do Brasil grupo parlamentar grupos gsi guarda municipal guarujá guarulhos guedes guerra guerra civil guilherme gustavo gustavo henric costa gustavo henric da costa guti gutti habilitação habita habita brasília habitação habitacional haddad Haia hamilton hans river harvard havana hediondos heitor heitor schuch helder hélio hemocentros henric henrique hepatite hepatite a herança heranças herdeiros hereditárias hermano hermano morais hermes zaneti heróis heróis da pátria hibrido hidrelétrica hídrica hidrovias higiene hilda hipertensão hiroshima história história psb histórica histórico hiv hmr holocausto home homenageadas homenageia homenagem homens homens trans homicídio homicídios homoafetiva homoafetivos homofobia homologada homossexuais homossexual homossexualidade honra hood hora hora da virada horas horta hortaliças hospitais hospitais de campanha hospital hospital da criança hospital da mulher hospital da mulher do recife hospital veterinário house hrw hub hugo hugo leal Human Rights Watch humana humano humanos humberto humor hvet I iasp ibama Ibaneis ibge ibope iclei icmbio icms ideb ideia ideias identidade de gênero ideologia de gênero ideológicos idepe idh idhm idosa idoso idosos igf igreja igual igualdade igualdade de gênero igualdade racial ilegal Ilhas Virgens Britânicas ilícitos ilicitude iluminação imaginar imaterial imediata imigrantes imoral imóveis impacta impactar impacto impartialidade impeachment impeachment já impede impedimento impedir implanta impõe impopular importação importância importante imposto imposto de renda imprensa imprescindível imprescritíveis imprescritível improbidade improbidade administrativa impugnação impulsionar impunidade imunes imunidade imunização imunizante imunizantes inadimissível inadimplentes inadmissibilidade inaô inaugura inauguração inaugurações inaugural incêndio incentiva incentivo incertezas incidência inclui incluirá inclusão inclusão digital inclusiva inconstitucionalidade inconstitucionalidades indeferido indenização independência independente indica indicações indicadores índice índices indígena indígenas índios indissociáveis indívenas indústria industria criativa industrialização indutor inédita inep infância infantil infectologista infidelidade infidelidade partidaria inflação influenciadores influentes influenza informação informações informal informalidade infraestrutura ingazeira inglaterra ingressa ingressam ingressará ingresso iniciativas injúria injuria racial innovare inovação inovação tecnológica inovadoras inpe inquérito inquéritos inscrição inscrições insegurança alimentar inserção inserções inseticida insistir inspiram inspirar inss instabilidade instagram instalação instale instância instâncias instaura instável instensifica institucionais institucional institui instituição instituição financeira instituições instituto Instituto Butantan instituto locomotiva instituto miguel arraes instituto pensar institutos institutos federais insulto íntegra integração integrado integrais integral integrantes inteligência inteligente inteligentes intenacional intenções intercambistas intercept interesses interestadual interferência interior intermitente internacionais internacional internet internet para todos interno intervenção intervenção militar intimidação intituto pesquisa locomotiva investe investidos investigação investigações investigado investigar investimento investimentos investimentos publicos investir investirá invisibilidade iof ipea ipsos ipt iptu iptu verde ipva irregularidade irregularidades irresponsabilidade irresponsável isaltino isaltino nascimento isenção iso isolamento isolamento social israel israel rocha itaipu itália itamar itinenrante IV ivan ivanildo jacarezinho jacomussi jacqueline jacqueline moraes jair jair bolsonaro janeiro janela janelas janelas da democracia janelas pela democracia janelas temáticas janete janete capiberibe janot japão jaqueline jaqueline moraes jato jean ricardo jefferson jepoe jessé jesus jesus de matos jhc joão joão alberto capiberibe joão azevedo joão bosco joão campos joão capiberibe joão depiberibe joão doria joão fernando coutinho joão henrique caldas joão henrique campos joao mangabeira joão pessoa joão suassuna joaquim joaquim barbosa joaquim levy joelma joice joilson joilson cardoso joinville jonas jonas donizette jorgar jorge jorge kajuru jornais jornais regionais jornal jornal do comércio jornal o globo jornalismo jornalista jornalistas josé José Gomes Temporão josé luiz horta José Luiz Penna jose paulo bisol josé reinaldo josé stédile josué de castro jovem jovens jsb JSB-ES judeus judicial judiciário julga julgamento julgamentos julgar julgará julgue julho júli juliene silva julio julio delgado junho júnior jurandir jurídica juros jusene perusso justa causa justiça justiça do trabalho justiça eleitoral justiça fiscal justiça social justo juventude juventude socialista juventude socialista brasileira juventudees juventudes kajuru kalunga kalungas kane karina karina delfino mussa katia katia gilvonio keiko keiko ota kit kit covid kristin labirinto laboratorio laboratórios laça lacen lacerda lactante laerte lago laico laja lamenta lança lançada lançado lançam lançamento lançamento pré-candidatura lançamento site lançar lançou lar largo do batata latina latino latino-americana latinoamericana laura gomes lauro lava jato lázaro cruz ldo ldo 2019 leal leany lemos led legado legal legalidade legenda legislação legislativas legislativo legislatura lei Lei 8.008/18 lei aldir blanc lei anticorrupção Lei Capiberibe Lei da Liberdade Econômica lei da mordaça lei da transparência lei de acesso à informação lei de diretrizes orçamentarias lei de improbidade administrativa lei de segurança nacional lei do gás lei estadual Lei Estadual 8.307/19 lei geral lei geral de proteção de dados lei janete lei maria da penha lei seca leila leila barros leila do vôlei leilão leis leis do trabalho leitão leite leite materno leites leito leitoa leitos leitura leonardo steiner leonelli leopoldo meyer lesões lessa letais letalidade levantamento levarão lewandowski lfg LGBT lgbt socialista lgbtfobia lgbti lgbtis lgbtqi lgbtqia+ lgbts lgpd lia lopes liberação liberada liberal liberalismo liberato liberdade liberdade de expressão liberdade de imprensa libras licenciamento licenciamento ambiental licitação licitações lições líder líder psb senado lidera lideram liderança liderança do psb liderança do psb na câmara liderança psb líderes lidia goldenstein lídice lídice da ma lídice da mata ligada lima liminar limita limite limites limpa limpeza línga língua lins lira lissauer vieira lista literário litoral live livre livres livreto livro livro 4 livro 5 livro dos heróis e das heroínas da pátria livro dos heróis e heroínas da pátria livro heróis da pátria livros lixão Lixão da Estrutural lixo liziane bayer LOA lobos locais lógica logístimo logomarca londres longevidade lorenzoni lrf lsn luana costa lucas lucas ramos lucena lucia Lúcia Vânia luciana santos luciana trindade luciano luciano azevedo luciano buligon luciano ducci lucio costa lucra lucro lucros lugar luís Luis Carlos Prestes Filho luis nassif luís roberto barroso luís vidal luiz luiz claudio romanelli luiz flávio gomes luiz fux luiz henrique mandetta luiz lauro luiz lauro filho luiza trajano lula lunna luta lutas lutz luz macapá maceió machado machismo machista maconha madura maduro mãe mãe coruja mãe coruja pernambucana mães magna mahatma gandhi maia maio maio amarelo maio ambiente maior maiores maioria maioridade maioridade penal mais mais médicos malala Malala Yousafzai mananciais manaus manchester mandado mandado de segurança mandato mandatos mandetta maneira mangabeira manguezais manguezal manifesta manifestação manifestações manifestações culturais manifestam manifesto manipulação manobra mantém manuela davila manutenção mapa da fome mapeamento territorial maranhão marc morgan milá marca marcelo marcelo freixo marcelo serafim marcha marcha das centrais marcha das margaridas márcia márcia de alencar márcia lucena márcia rollemberg márcio márcio frança marcio lacerda marco marco aurélio marco civil marco do saneamento marco legal marco legal da primeira infância marco regulatório marco temporal marcos marcos cesar pontes marcos pontes marcus rodrigues margaridas margem mari ferrer maria maria da penha maria de jesus maria helena mariana mariana ferrer marielle marielle franco marina marinaldo rosendo marinha mário mario frias mário soares marketing marlon martha rocha Martin Luther King martiniano cavalcante martins mas mascara máscaras masculinos massa massacre mata matéria material material didático material escolar maternidade materno materno-infantil matheus cardoso mato mato grosso mato grosso do sul matos mauá mauro mauro mendes mauro nazif max mbc mea mec medellin média médica medicamento medicamentos médicas medicinal médico médico-hospitalar médicos médicoscubanos medid910a medida medida cautelar medida protetiva medida provisória medidas medidas restritivas médio medo medula medula óssea megadelegacia megaoperação meia entrada meio meio ambiente Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável melhor melhorar melhores mello membro membros memória memória socialista memorial mendes mendonça filho menor menos mensagens mensalão menstruação menstrual mentirosas mentor mercado mercado de trabalho mercado imobiliário mercosul merece merenda merenda escolar mergulho mês mesa mesa de articulação meses messias junior metabólicas metade metareciclagem metas metas de desenvolvimento sustentável metrópoles méxico mi michel michel temer michelle michelle bachet michelle bolsonaro micro microcameras microcefalia microcrédito microempreendedor microempreendedoras microempreendedores mídias sociais miguel miguel arraes miguel coelho Miguel Nicolelis mil mil dias milena batista milhões miliciano milícias milionários milita militância militante militantes militar militares milton milton coelho Milton Ribeiro minas minas e energia Minas Gerais minc mineração mineral minha casa minha casa minha vida mínima ministério ministério da defesa ministério da economia ministério da educação ministério da justiça ministério da saúde ministério do trabalho ministério público ministérios ministra ministro ministro da cidadania ministro da educação ministro de minas e energia ministro fernando coelho filho ministros minoria minorias miriam miséria misoginia missão mit mits MMA mme mobilidade mobilidade urbana mobiliza mobilização moção moção de repúdio modelos moderna modernas modernização módulo molon monica monica xavier monitor da violência monitoramento monitorar montadoras monteiro montenegro moradia moradias moraes morais moral morar morar legal mordaça moreira moro morre mortalidade mortalidade materna morte mortes mortos mosquito mota moto motoboys motociata motociclistas motorista motoristas motta mourão movimento movimento lgbt movimento lgbt socialista movimento negro movimento popular socialista movimento popular[ movimento sindical movimento suprapartidário movimento todos pela educação movimentos movimentos sociais moxotó mp mp 1031 mp 746 mp 814 mp 844 mp 844/2018 mp 905 mp 905/2019 MP 979 mp do saneamento MP936 mpb mpf mps mpt ms mst mt mudança mudanças mudanças climáticas mudar muher muleheres mulher mulher negra mulher protegida mulher trans mulheres mulheres empreendedoras mulheres socialistas mulheres unidas contra bolsonaro multa mundial mundo Munduruku munição municipais municipal municipalista município municípios municípios de interesse turístico munições museu mussi mutirão nacionais nacional nações unidas nada nagasaki nair goulart não não querem que você saiba não violencia não violência ativa nardini nascente nascimento natal natércia natos natural nature natureza navarro nave navio Navio de Assistência Hospitalar nazif NE necessidade necessitam nefasta negacionismo negacionista negócio negócios negra negras negritude negritude socialista negritude socialista brasileira negro negros neide nelson teich nenhum neoliberal neoliberalismo neri nero nery neto netto neutralidade news nilo nível nº 5.821 noam chomsky nobel nobel da paz nome nomeação nomeia nordeste nordestino norma normais normas norte nós e eles nossa nossa casa nosso nosso mandato nossos nota nota conjunta nota de falecimento nota de pesar nota de repúdio nota de solidariedade nota oficial notebooks notícia notícia-crime notícias notifica notificação nova nova executiva nova sede nova zelândia novas novas perspectivas jurídicas nove novembro novo novo cenário político nacional novo federalismo novo líder Novo Mercado de Gás novo segmento novo site novos nsb núcleo nuevo peru nulo número números nunca o o antagonista o dia o globo o grito das ruas o papel da china o político o que está realmente em jogo o que os donos do poder oab óbitos objetivos obra obras obriga obrigar obrigatória obrigatório observatório observatório da democracia observatórios obtém ocde ocupa ocupa brasília ocupar odebrecht ódio odorico odorico monteiro ods oferece ofereceer oferta office offshore oficiais oficial oficializa oficializada oficializaram oficina oficio oiapoque oit oitava oito anos óleo óleos olga olhar olimpíada olimpíadas Olinda olinda e recife oliveira OMC omissão omissões omite oms onda onerosa ong ônibus ônibus elétricos online onservatorio da democracia onu onyx onyx lorenzoni opa opera paraíba opera+ operação operação placebo operação policial operações operações policiais opõe oportunidade oposiçao orçamentária orçamentário orçamento orçamento democrático orçamento democrático estadual orçamento participativo 2018 orçamento secreto ordem órfao orfãos organização organizado organizados órgãos orgulho orgulho lgbt orientação orientações orientar orla orla livre orquestra Os negros ajudaram a construir esta nação óssea osso ota otávio otávio oliveira ou te devoro outros outubro rosa ouvidoria oxfam oxfam brasil oxigênio pacientes pacote pacto pacto federativo Pacto Nacional em Defesa da Vida e da Saúde pacto pela vida pactuação pademia pagamento página pai paineis painel país país melhor países palacio palácio do planalto palavra palha palmares palmas palmeiras panamá pandeia pandemia Pandora Papers panelas pantanal panteão panteão da pátria papa papa francisco papa-df papel papo papo socialista pará Para Fagnani para todos parada paradigmas paraguai paraíba paraíba paralímpica paraíba unida pela paz paraíso paralelo paralisação paraná paranatinga paranoá paraolímpico paraquat paratletas parcelas parceria pardos parecer paridade parlamentar parlamentares parlamentarismo parlamento parlasul parque parteira parteiras participa participação participação feminina participação popular participam participativo particpação partidária partidárias partido partido comunista chines partido comunista da china partido socialista brasileiro partido verde partidos partidos de oposição partilha partos pasep passa passagens passaporte passaportes passar passe passe livre passe livre estudantil passiva passo passo fundo pastor pate-papo patente pátria patrimônio patriota patrono paula paula benett paulista paulistanos paulo paulo bracarense paulo câmar paulo câmara paulo dutra paulo freire paulo guedes pauta pautas pavimentação paz pazuello pb pbtec pc do b PCC pcdob pdc pdl pdl 7/2019 pdsa pdt pdt-psb pdt-sp pe pe no campus pe3d pec pec 113A//2015 pec 287/16 pec 32 pec 383/17 pec 5 pec do suas pec do teto pec emergenciial pec recall pede pedem pedido pedra pedro pedro hallal pedro pedrozo pela pele pelo pelópidas silveira pena penal penas penha penitenciárias pensão pensar pensar jovem pense pense brasil pensionistas pensões pequenas pequenas cidades pequenos pequim perda perdão perdeu pereira periferia perigo permanente permite permitirá pernamabuco pernambucano pernambuco pernambuco pela prevenção pernambuco tridimensional Pernmabuco perseguição perspectivas pertencer peru pesar pesquisa pesquisas pessimismo pessoa pessoa com deficiência pessoa idosa pessoais pessoas pessoas com deficienca pessoas com deficiência pesticida pet pet são paulo petição petrobras petróleo petrolíferas petrolina petrópolis pets pf pfizer PGR pib picanha pietro pilhas pindaré pinochet pinto pioneira pioneiro piora piores pirataria pires pis piso pitombo pl PL 1.981/19 pl 10260/2018 pl 28/19 pl 490 pl 6787/16 PL 7180/2014 pl 8045/10 PL 9777/18 pl do veneno placas planejamento planejamento familiar plano plano de ação plano de governo plano nacional de educação Plano Nacional de Enfrentamento ao Homicídio de Jovens plano retomada plano safra planos planos de saúde plantando plantio plásticas plataforma Plataforma da Democratização de Gestão Partidária plataforma de democratização da gestão partidária plataforma online PLC 94/2018 pldo plebiscito plenário pln pmi pmn pnad pnara pnatrans pne PNEE pnud pobre pobres pobreza pobreza menstrual podcast podcasts pode podemos poder poderes poderiam poderosos polêmicas polícia policia civil polícia federal policia militar policial política Política de Desenvolvimento do Brasil Rural política espacial política nacional Política Nacional de Redução de Agrotóxicos políticas políticas femininas políticas públicas políticas sociais político políticos politika polo poluição pomba pompéu ponta ponte pontos pontuação popuação população população de rua população negra populacional populações popular populares por por que por um natal cristão portadoras portal portal da transparência portaria porte porte de armas porto porto de suape portugal português portuguesa portugueses pós-graduação pós-pandemia posição posicionamento posse postos poupatempoanimal povo povos povos indígenas ppps pr prado pragas praia sem barreiras praias prática praticar práticas práticas sustentáveis prato práxis prazo prd prd méxico pré pré-candidato pré-candidatos pré-candidatur pré-candidatura pré-candidaturas pré-sal precarização precatórios preceito precisa precisam precisão preciso preço preconceito preconceitos preços prefeita prefeitas prefeito prefeito de belo horizonte prefeitos prefeitura prefeitura de campinas prefeitura de guarulhos prefeitura de palmas prefeitura do recife prefeitura recife prefeituras prega prega.socialismo premia premiação premiado premiar prêmio Prêmio congresso em foco prêmio gestor público 2017 prêmio nobel da paz preocupação preocupam preparatória presa presença presente preservação preside presidência presidenciais presidencial presidente presidente de honra presidente nacional presidente nacional do psb presidente psb presidentes presidentes estaduais presídios presidirá presos pressão pressões presta prestar prestes prestigia prevaricação prevê prevenção prevenção à corrupção previdência Previdência e bem-estar social: Construindo um Brasil mais justo previdência social previdenciária previdenciários prf prfeitura prima primária primeira primeira infância primeira mulher primeiras letras primeiro primeiro lugar primeiro turno primeiros principal princípios prioridade prioridades prioritário prioritários prioriza priorizam priorizar prisão prisional privada privadas privado privatização privatizações privatizar privilegia privilegiado privilégios pro pró-eleições pró-eleições diretas pró-leitura problemas procaf processamento processo processos processos disciplinares procurador-geral procuradora procuradores procuradoria produção produtores rurais produzirá proesam professor professor adriano professor cleiton professores profissão profissionais programa programa atitude Programa Chegando Junto programa construindo cidades resilientes programa criança alfabetizada Programa de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia programa de governo programa espacial programa ganhe o mundo programa habitacional programa mãe coruja programa Mais Esporte Programa Nacional de Alimentação Escolar programa partidário programação programas programas sociais progressista progressistas progressiva proíbe proibição proibir projeta projetamento projeto projeto brasil projeto de decreto legislativo projeto de lei Projeto de Lei 3138/19 Projeto de Lei Complementar nº 9/19 Projeto de Lei nº 10.260/2018 projeto nacional projetos projetos de lei promessa promissa promoção promove promovem promover promulgada pronunciamento propaganda propagandas propõe propõem propor proposição proposições proposta proposta de emenda à Constituição propostas próprias propriedade prorrogação prorrogado pros prospera protagonismo proteção Proteção da democracia proteger protestar protesto protestos protocola protocolam protocolar protocolaram protocoliza protocolizar protocolizaram protocolizou protocolo protocolos prova prova de vida provas prove provincia provisória provoca próxima prv ps ps chile ps uruguai psb psb bahia PSB Contra as Armas! psb inclusão psb na câmara psb no senado psb-ac psb-al psb-am psb-ap psb-ba psb-df psb-es psb-go psb-ma psb-mg psb-mt psb-pa psb-pará psb-pb psb-pe psb-pi psb-pr psb-rj psb-rn psb-rs psb-sc psb-se psb-sp psb-to psbcontigo.com.br psoe psol-rj pt pública publicação públicas publicidade publicitárias público públicos pulverizada pune punição punir pv quadrilhas quadro qualidade qualidade do ar qualifica es qualifica pe qualifica recife qualificação qualificação profissional qualificar es quarentena quarteto em cy quarto quatro que quebra quebra de decoro queda queimada queimadas queixa-crime quem quer querem queremos quero quero impactar questão questão climatica questiona questionam questione quilombo quilombola quilombolas quilombos quinta quinto R$ 1 R$ 115 milhões R$ 20 R$ 430 milhões R$ 600 R$500 R$600 raça racial racionamento raciscmo racismo rádio rádio 40 rafael rafael araripe carneiro rafael carneiro rafael galliez rafael motta rafael prudente raissa rossiter ramagem ramos rankin ranking rápido Raquel Branquinho rastreamento rastreia rating ravin reabertura reação reafirma reage reagem reais reajuste realidade reality show realiza reaproveitamento rebelo recadastra recadastramento recadastramento de filiados recadastramento nacional recall recall presidente recebe recebem receberão recebeu recebimento receita federal recepciona recessão rechaça recife recife solidario recifense recipe recomenda recomosição recompor reconduzido reconecta reconhecer reconhecimento reconstrução reconstruir recontratação recorde recorre recua recuou recuperação recuperam recurso recursos recursos naturais redação redações rede redemocratização redes redes sociais redesim redetrans redução redução maioridade reduz reduzido reduziu reeleição reeleito reestruturação refeição refeições refelxão referência referendo refino refis reflexão reforça reforçam reforço reforma reforma administrativa reforma agrária reforma da previdência reforma do ensino médio reforma do estado reforma política reforma previdência reforma previdenciária reforma trabalhista reforma tributária reforma tributária deve fortalecer bem-estar social e reduzir a desigualdade de renda reformas refugiados refundação região região amazônica região rural regime regime militar regimento regina regional registra rêgo regras reguladoras regulamenta regulamentação regular reino reino unido reinserção reinstalado reis reitor reitores rejeita rejeitam rejeitos relações relações exteriores relata relator relatora relatório relatório anual relatório final release religioso remédio remédios remoção renan renascimento renato renato cagrande renato casagrande renato meirelles renca renda renda básica renda brasil renegociação renova renova br renovabio renovação renovação política renúncia reparos repasse repatriação repatriados reportagem representação representação feminina representação política representam representar representatividade reprovação República repudia repudiam repúdio repurificação repurificação ideológica requalifica requer requerimento requerimentos reserva reservas indígenas residência residência inclusiva resídios sólidos resistência resolução Resolução nº 01/2016 resoluções respeito respiradores respiradores pulmonares responsabilidade responsabilizar responsável resposta respostagem ressarcimento ressarcir ressignificar restaurante restaurante popular restaurantes restingas restrição restringe retenção retira retirada retoma retomada retorno retrato em preto e branco retrocesso retrocessos reúne reunião reunião da comissão executiva nacional reunião da executiva reunião executiva nacional reuniões reuso reuters revalida revela rever revista revista politika revitalização revoga revolução revolução brasileira revolução criativa na educação revolução industrial Revolução Pernambucana revolução pernambucana de 1817 revoluçãobrasileira revolucionar revolucionárias revoução rgps ribeirinhas ribeirinhos ribeiro ricardo ricardo barros ricardo coutinho ricardo galvão ricardo lewandowski ricardo mucci ricardo salles ricardo silva Ricardo Vélez Rodríguez Ricardo Zarattini ricos rídigas rígidas rigoni rigorosas rinaldo rio rio branco rio de janeiro rio grande do norte rio grande do sul rio são francisco rios riqueza risco riscos rj rmc rn roberto Roberto Campos Neto roberto rocha robin robocup robótica rodovia rodovia federal rodoviária rodoviário rodovias rodrigo rodrigo agostinho rodrigo coelho rodrigo dias Rodrigo Janot Rodrigo Maia rodrigo martins rodrigo pacheco rodrigo rollemberg rogelia rogelia gonzalez rolezim rollemberg romanelli ronaldo lessa rondônia roosevelt rosa weber rosana rosário rossi rouanet roubos royalties rs rua ruas rubem Rubem Bemerguy rubens rubens bomtempo rumo rurais rural ruralistas russi s s.paulo sábado sábados sabatina sabonete sacolas sai saída sair salamanca salarial salário salário mínimo salários salgado Salgueiro salles salmão salvador Salvador Allende samuvet sanção sánchez sanciona sancionada sancionado sandri saneamento saneamento básico sangue sanitária santa santa catarina santa cecília do sul santo santos são são francisco são joão são luís são paulo são paulo congresso saque sarmento satélite saturnino saturnino braga saúde saúde em ação saúde pública sauded sc sc potencia criativa schuch se seca sechi secom secretaria secretaria da mulher secretaria de mulheres secretaria nacional de mulheres secretária-geral secretário secretário da juventude secretário estadual lgbt psb rs secretário nacional secretário-geral secretários secreto século sede sede psb pe sediar sediará segmento segmento de mulheres segmento lgbt segmentos segmentos sociais segue segundo segundo semestre segundo turno seguraça segurados segurança segurança climática segurança hídrica segurança nacional segurança pública seguridade seguridade social seguridade social e família seguro seguros sei seis seja sejam sejus selic selo sem sem fim Semana Nacional da Agricultura Familiar semanais semiárido seminário seminário de mulheres socialistas seminário gestão compartilhada seminário internacional Seminário Nacional de Formação Política seminário nacional de prefeitos senac senado senador senador capi senador capiberibe senador fernando bezerra coelho senador joão capiberibe senador valadares senadora senadora leila senadora lídice senadora lídice da mata senadora lúcia vânia senadora uruguaia senadoras senadores senai separado será serafim serafim corrêa serão serasa sérgio Sérgio Gaudenzi sérgio moro sergio rezende sergipe serviço serviços serviços essenciais servidor servidores sesc sessão sessão solene sete setembro setor setor cultural setor elétrico setor energético seu papel seul severino ninho sexista sexo sexta sexual shady ruiz diaz Shimon Peres show shuch sidney rosa sigilo sileno sileno guedes silva silvânio silvânio medeiros silvia silvio sim símbolo simone veil simulação sindical sindicalismo sindicalismo socialista brasileiro sindicatos síndrome de down sínodo sínodo da amazônia sinoel batista sinônimo sinovac siqueira sirkis sisar sistem sistema sistema digital sistema eletrônico de informações sistema estadual dos povos indíigenas sistema penitenciário sistema único de assistência social sistema único de saúde sistemas sisu site sítio situação situações smart snm sob sobe soberania soberania nacional soberano sobra sobras sobre sobrevivência sociais socialismo socialismo criativo socialista socialistas sociedade socioambiental socioeducativo socióloga socorro socorro neri socorros sódio sofre sol sol nascente solar soldados solene solicita solidariedade solidário solução soluções soma somos sonho sonhos sos sou souza sp spc sputnik ssb stalking stédile steffani stf STJ suape suárez suas suassuna subcomissão Subcomissão Parlamentar Memória subnotificados subsídio subsídios substituição substitutivo sul suman super-ricos supera superior superpedido superricos suplementar suplente suposta suprapartidária supremo supremo tribunal federal surdos surto sus suscetíveis suspeitas suspende suspender suspensão susta sustar sustentabilidade sustentáveis sustentável suzano systems tabaré tabata tabata amaral tablets tacanho tadeu tadeu alencar também na política tanques tapera tapete tarefa tarefa que unifica a luta contra o retrocesso tarifa tarifas tathiane tathiane araújo tatiana pires taxa taxação taxar tcdf tcu técnica técnico técnicos tecnologia tecnologias tecnológico Tedros telefone telefônicas telegram teletrabalho televisão telmo tem temas temática tematicas temer temperamento tempo tempo de contribuição tempo integral tempo mínimo tempo real temporal temporária tentação tentativa Teologia da Libertação teori zavascki ter terá terapêutica terceira terceira idade terceirização terceiro tereza tereza cristina tereza de benguela terminais termo termo de cooperação terra terras terras indígenas terras públicas território tese teses tesouro testagem teste testes teto teto de gastos texto-base thaísa the intercept thiago tiago tiago amastha andrino tiago andrino tijolo a tijolo tirania tirar tiros titia titular título títulos tiver tocantins tocar todos todos na escola todos pelo recife todos por pernambuco toffoli toma tomam toneladas tony tony sechi tóquio torcedor torcida torna tornam torquato jardim tortura totalitária toxidade traalhadores trabalhador trabalhador rural trabalhadoras trabalhadores trabalhadores rurais trabalhista trabalhistas trabalho trabalho escravo trabalho infantil trabalho informal trabalhos traça tradicionais tradicional trafico de influencia tragédia trajetória trâmite trans transexuais transexual transexualidade transferência transfobia transformações transformar trânsito trânsito seguro transmissão transnordestina transparência transparência internacional transplantados transplante transplante de medula óssea transportar transporte transporte público transposição trata tratamento tratar tratoraço travesti travestis tre trecho 1 trechos treinamento três trf-1 trf-4 trf-5 triagem tribuna tribunal tribunal de contas Tribunal Penal Internacional tribunal superior eleitoral tributação tributária tributos tricampeões trilhão trimestre triplica troca tse tsunami tsunami da educação túnel turismo turno tutelado tutelar tutor tutti tv tv 40 tv câmara uberização ubes ubs uerj ufpe UFPEL UFU uísque último últimos ultrapassa um uma unanimidade Unasul une unesco união união estável unicef único unida pela paz unidade unidade de saúde unidade móvel unidades unido unidos unifica unir UniSaúde universal universaliza universalização universalizar universalizou universidade universidades universitária UPE urban urban systems urbana urbanismo urgência urgente uruguai usa usina uso USP usuário usuários usuários de drogas uti utilização utopia vacina vacinação vacinação infantil vacinados vacinar vacinas vagas vai valadares valadares filho vale Vale do Javari valeixo valéria valéria dos santos validade valle valneide valneide nascimento valor valor econômico valorização valtenir pereira válter válter suman vamos vanderlan vanderlan cardoso vania vantagem vantagens varejo varginha vasconcelos vasquez vaticano vaz vazamento vegetais veículos veja velha velho velho chico vem meu emprego venâncio venâncio aires vença vence venceslau venda vender veneno veneziano veneziano vital veneziano vital do rêgo venezuela verba verbas verdade Verdade e Justiça verde verde e amarelo vereador vereadora vereadoras vereadores vergas vergonha vermelha vestibular veta vetado vetar veterinário veto vetos vetos presidenciais via viaduto viaduto do geisel viaduto eduardo campos viagem viaturas vice vice prefeitas vice-governador vice-governador de são paulo vice-governadora vice-prefeita vice-prefeito vice-presidências vice-presidente vice-presidente nacional de relações governamentais vicente selistre vida vidas vídeo vídeo-aulas vídeos vignatti vigor vilela Vilmar Kalunga vilson vilson da fetaemg vinicius labanca vinte vinte anos violações violam violência violência contra a mulher violência contra mulher violência doméstica violência lgbt violência masculina violencia policial violencia sexual violentas violentos virar virtuais virtual visão visibilidade trans visitam visual vital vitalidade vítima vítimas vitória vitórias vitoriosas vive! viviane mosé vizinhança vladimir herzog vocid vôlei voltado voltar voluntária voluntarismos vota votação votado votaram voto vulnerabilidade vulnerabilidade social vulneráveis vulonerabilidade wagner waiãpi wajngarten waldez waldir pires wall street Walter Braga Netto wanming wccd webconferência webinario webnário weintraub whatsapp wi-fi wickert wilma de faria wilson witzel wiltzel with witzel wladimir workshop Xi Jinping XIV XIV congresso XIV Congresso Nacional XIV congresso nacional do psb xv XV congresso XXi yacows yang yanomamis yara yara gouvêa ygor york zema zero zinzhag zona zona rural zonais zpe zumbi zumbi dos palmares
Compartilhar:
Copyright © 2020